Conecte-se conosco

Brasil

DJ Ivis é preso

Publicados

em

Prisão preventiva foi solicitada pela Polícia Civil do Ceará


O cantor Dj Ivis foi preso nesta quarta-feira, 14, em Fortaleza após os vídeos de agressões contra a ex-mulher Pamella Holanda serem divulgados por ela nas redes sociais. O governados Camilo Santana anunciou a prisão do artista.

“Acabo de ser informado pelo nosso secretário de Segurança da prisão do DJ Ivis, no caso das agressões a Pamella Holanda. A prisão preventiva havia sido solicitada ontem pela nossa Polícia Civil e decretada há pouco pela Justiça. Que responda pelo crime cometido”, disse Camilo.

Brasil

Um brinde pela inclusão: Em nova edição, cervejarias lançam cervejas inéditas em apoio à comunidade LGBTQIA+

Publicados

em

O projeto Brewing Love é idealizado pela Cervejaria Octopus e já conta com o apoio de 30 cervejarias, entre elas a Ambev

No mês em que se celebra o Orgulho LGBTQIA+, cerca de 30 cervejarias, entre elas a Ambev, se uniram novamente para produzir cervejas exclusivas em apoio à comunidade LGBTQIA+. Na 2ª edição do projeto Brewing Love, iniciativa idealizada pela Cervejaria Octopus para promover mais conscientização no mercado cervejeiro, a Ambev vai destinar 100% do lucro obtido com a venda das cervejas para instituições de acolhimento, proteção e inclusão da população trans e travestis.

“Participar de um projeto com outras cervejarias para pensar em receitas que traduzem a inclusão e o respeito à comunidade trans é um passo significativo para o ecossistema cervejeiro. Sabemos que o nosso setor ainda tem pouca diversidade e temos grande responsabilidade em buscar formas de alterar esse cenário. Por isso, fazer parte dessa iniciativa é muito importante para a Ambev. Ela complementa as outras ações por mais inclusão e diversidade implementadas na companhia”, afirma Sybilla Geraldi, Coordenadora de Conhecimento e Cultura Cervejeira da Ambev.

Para os idealizadores da iniciativa, Amanda Santos, Gabriela Meirelles, Isadora Xavier, Paula Valente e Walter Costa, chegar a uma segunda edição de um projeto como o Brewing Love é um perfeito lembrete de que há muito o que se fazer para dar suporte para as pessoas LGBTQIA+. “Seguimos em risco com a vulnerabilidade no Brasil, especialmente a população trans e travesti que é mais violentada e morta aqui do que em qualquer outro lugar no mundo. E esse retrato nos persegue há muitos anos como resultado do abandono e omissão de uma sociedade que discrimina, ataca e isola o diferente. Contudo aquece o peito ver a tomada de ação de tantas marcas e pessoas para buscar meios que alterem o curso dessa realidade. Nós, idealizadores do projeto, celebramos os avanços sim, mas reafirmamos os objetivos: visibilizar, empoderar, proteger, cuidar e dar voz para a população LGBTQIA+ todos os dias”, pontua Walter Costa, um dos idealizadores do Brewing Love.

A participação nesse projeto é aberta a toda comunidade cervejeira. Os interessados em conhecer mais detalhes da iniciativa ou sobre as ONGs e movimentos que serão beneficiados, podem acessar o site da Cervejaria Octopus e redes sociais das marcas participantes. As cervejas serão disponibilizadas aos consumidores pelas páginas oficiais de cada cervejaria e pontos de venda espalhados pelo país, a partir do dia 28 de junho.

Mais oportunidades
Mais do que o apoio financeiro, a Ambev também quer continuar contribuindo com a transformação da realidade de pessoas LGBTQIA+ para que elas tenham mais autonomia e se sintam mais incluídas e respeitadas na sociedade. Nessa perspectiva, a companhia vai realizar um programa de mentoria com a TODXS, instituição que promove a inclusão de pessoas LGBTQIA+ na sociedade com iniciativas de formação de lideranças, pesquisa, conscientização e segurança. A mentoria será uma ação a longo prazo com foco em empregabilidade para pessoas trans e contará com o apoio de colaboradores da Ambev.

“O movimento possui sinergia com as ações da companhia e é muito importante para a nossa jornada de inclusão e diversidade. A cada ano, avançamos mais e realizamos iniciativas para garantir mais diversidade e respeito no setor cervejeiro. Sabemos que ainda temos muito a contribuir, mas esse caminho já começou”, afirma Paula Guedes, Mestre-Cervejeira e Líder em Inovação.

Mais inclusão e respeito
A Ambev segue investindo em transformação social e chama atenção para a necessidade de construir uma sociedade mais diversa e inclusiva para as pessoas trans/LGBTQIA+. O primeiro passo já foi dado: por meio do projeto “Me chame pelo meu nome (e pronome também)”, a companhia vai retificar os nomes de todos os colaboradores trans que desejarem, de forma gratuita e com todo o suporte burocrático necessário.

Além dessas ações, durante todo o ano, a Ambev, junto com BEATS, vai direcionar o olhar para a comunidade trans para reforçar a luta por mais inclusão, visibilidade e oportunidade, e mostrar que a sociedade cis tem um papel crucial como agente de mudança.

Continue lendo

Brasil

Após denúncia de assédio sexual, Presidente da Caixa entrega carta de demissão a Bolsonaro

Publicados

em

Alvo de denúncias de assédio sexual, o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, entregou nesta quarta-feira, 29 ao presidente Jair Bolsonaro uma carta de demissão (leia a íntegra ao final desta reportagem).

No final da tarde, uma edição extra do “Diário Oficial da União” registrou decreto de Bolsonaro com a exoneração “a pedido” de Guimarães e nomeação para o lugar dele da secretária de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, Daniella Marques.

Na carta, Guimarães nega as acusações de várias funcionárias da Caixa que apontaram situações de assédio. O caso é investigado pelo Ministério Público Federal. O Ministério Público do Trabalho também vai apurar. Segundo apurou o blog de Ana Flor, a cúpula da Caixa tinha conhecimento das denúncias, mas acobertou.

Pedro Guimarães pede demissão da presidência da Caixa após denúncias de assédio sexual
Pedro Guimarães pede demissão da presidência da Caixa após denúncias de assédio sexual

“As acusações noticiadas não são verdadeiras! Repito: as acusações não são verdadeiras e não refletem a minha postura profissional e nem pessoal. Tenho a plena certeza de que estas acusações não se sustentarão ao passar por uma avaliação técnica e isenta”, escreveu Pedro Guimarães.

Na carta, o presidente da Caixa se diz alvo de “rancor político em um ano eleitoral”. Segundo ele, o objetivo da demissão é “não prejudicar a instituição ou o governo”.

“Não posso prejudicar a instituição ou o governo sendo um alvo para o rancor político em um ano eleitoral. Se foi o propósito de colaborar que me fez aceitar o honroso desafio de presidir com integridade absoluta a CAIXA, é com o mesmo propósito de colaboração que tenho de me afastar neste momento para não esmorecer o acervo de realizações que não pertence a mim pessoalmente, pertence a toda a equipe que valorosamente pertence à CAIXA e também ao apoio de todos as horas que sempre recebi do Senhor Presidente da República, Jair Bolsonaro”, escreveu.

Ele se disse atingido pelas acusações antes de poder apresentar argumentos para se defender. “É uma situação cruel, injusta, desigual e que será corrigida na hora certa com a força da verdade”, afirmou.

Pedro Guimarães estava no cargo desde o início do governo. Ele é considerado um dos principais colaboradores de Bolsonaro e fez várias aparições durante as transmissões ao vivo semanais que o presidente faz por redes sociais.

Pela manhã, em discurso durante um evento do banco registrado em vídeo divulgado pela rádio CBN em uma rede social, Guimarães, sem se referir diretamente às acusações, disse que tem a vida “pautada pela ética”.

“Eu quero agradecer a presença de todos vocês, a minha esposa. Acho que de uma maneira muito clara… São quase 20 anos juntos, dois filhos, uma vida inteira pautada pela ética”, afirmou.

Ao site Metrópoles, o primeiro a divulgar o caso, a Caixa informou não ter conhecimento das denúncias apresentadas e disse adotar “medidas de eliminação de condutas relacionadas a qualquer tipo de assédio”.

Íntegra da carta
Leia abaixo a íntegra da carta de demissão que o presidente da Caixa Econômica Federal entregou nesta quarta-feira ao presidente Jair Bolsonaro.

À população brasileira e, em especial, aos colaboradores e clientes da CAIXA:

A partir de uma avalanche de notícias e informações equivocadas, minha esposa, meus dois filhos, meu casamento de 18 anos e eu fomos atingidos por diversas acusações feitas antes que se possa contrapor um mínimo de argumentos de defesa. É uma situação cruel, injusta, desigual e que será corrigida na hora certa com a força da verdade.

Foi indicada a existência de um inquérito sigiloso instaurado no Ministério Público Federal, objetivando apurar denúncias de casos de assédio sexual, no qual eu seria supostamente investigado. Diante do conteúdo das acusações pessoais, graves e que atingem diretamente a minha imagem, além da de minha família, venho a público me manifestar.

Ao longo dos últimos anos, desde a assunção da Presidência da CAIXA, tenho me dedicado ao desenvolvimento de um trabalho de gestão que prima pela garantia da igualdade de gêneros, tendo como um de seus principais pilares o reconhecimento da relevância da liderança feminina em todos os níveis da empresa, buscando o desenvolvimento de relações respeitosas no ambiente de trabalho e por meio de meritocracia.

Como resultados diretos, além das muitas premiações recebidas, a CAIXA foi certificada na 6ª edição do Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), além também de ter recebido o selo de Melhor Empresa para Trabalhar em 2021 – Great Place To Work®️, por exigir de seus agentes e colaboradores, em todos os níveis, a observância dos pilares Credibilidade, Respeito, Imparcialidade e Orgulho.

Essas são apenas algumas das importantes conquistas realizadas nesse trabalho, sempre pautado pela visão do respeito, da igualdade, da regularidade e da meritocracia, buscando oferecer o melhor resultado para a sociedade brasileira em todas as nossas atividades.

Na atuação como Presidente da CAIXA, sempre me empenhei no combate a toda forma de assédio, repelindo toda e qualquer forma de violência, em quaisquer de suas possíveis configurações. A ascensão profissional sempre decorre, em minha forma de ver, da capacidade e do merecimento, e nunca como qualquer possibilidade de troca de favores ou de pagamento por qualquer vantagem que possa ser oferecida.

As acusações noticiadas não são verdadeiras! Repito: as acusações não são verdadeiras e não refletem a minha postura profissional e nem pessoal. Tenho a plena certeza de que estas acusações não se sustentarão ao passar por uma avaliação técnica e isenta.

Todavia, não posso prejudicar a instituição ou o governo sendo um alvo para o rancor político em um ano eleitoral. Se foi o propósito de colaborar que me fez aceitar o honroso desafio de presidir com integridade absoluta a CAIXA, é com o mesmo propósito de colaboração que tenho de me afastar neste momento para não esmorecer o acervo de realizações que não pertence a mim pessoalmente, pertence a toda a equipe que valorosamente pertence à CAIXA e também ao apoio de todos as horas que sempre recebi do Senhor Presidente da República, Jair Bolsonaro.

Junto-me à minha família para me defender das perversidades lançadas contra mim, com o coração tranquilo daqueles que não temem o que não fizeram.

Por fim, registro a minha confiança de que a verdade prevalecerá.

Pedro Guimarães

Continue lendo

São Paulo

A empresários, Lula diz que não existe ‘governo Lula’, mas governo Lula-Alckmin

“Não existe ‘governo Lula’, mas governo Lula-Alckmin”

Publicados

em

Jantar com 30 pessoas foi realizado no apartamento do advogado Sergio Renault na noite de terça-feira (28), no bairro dos Jardins, em São Paulo.

Lula – Num jantar com empresários em São Paulo, o pré-candidato do PT à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva, aproveitou sua fala para reforçar sua proximidade com seu vice, Geraldo Alckmin (PSB). Disse que não existe existe governo Lula – e, sim, Lula-Alckmin.

A aliança com Alckmin tem sido o principal trunfo do PT para argumentar, junto a empresários, centro e mercado que um eventual novo governo de Lula não terá medidas “radicais” na economia.

A reunião foi realizada no apartamento do advogado Sergio Renault na noite de terça-feira (28), no bairro dos Jardins, em São Paulo.

Quer saber Notícias de Engenheiro Coelho – Clique aqui

“Aliança não é para ganhar, é para governar”, afirmou Lula, segundo relatos de participantes obtidos pelo blog- dizendo, ainda, que confia na habilidade de Alckmin para repactuar relação com Congresso.

O ex-presidente também disse que se sentia como se estivesse comemorando “bodas” com Geraldo Alckmin, como se fossem amigos há mais de 50 anos, e que “cotoveladas” do passado não comprometeram o respeito que eles têm um pelo outro.

Fontes que estavam no jantar disseram ao blog que ele elogiou o pessebista pelo menos quatro vezes e que ele disse estar mais animado agora para um eventual governo do que em 2003, quando tomou posse pela primeira vez.

Lula – Raiva, só de Moro

Lula também quis reforçar que um futuro governo seu com Alckmin teria caráter conciliador. “Eu não vou fazer nenhuma medida abrupta sem ouvir sociedade, empresários, Congresso. Vocês me conhecem”, disse o pré-candidato ao PT.

“Quero colocar empresário para conversar com trabalhadores. Quero viajar para fora, recuperar a imagem do Brasil”, afirmou.

Também fez uma crítica indireta a Bolsonaro, enfatizando que nunca enfrentou ministros do STF de forma personalizada. “Eu nunca chamei ministro do STF para o ringue, mesmo quando estava preso. Não é do meu feitio”, disse Lula.

Alguns empresários presentes relataram ao blog que, Lula chegou a dizer que se perguntarem de quem ele não gosta e teria raiva, só do ex-ministro da Justiça e ex-juiz Sergio Moro.

Petistas presentes disseram ao blog não terem presenciado esse recado mas que pode ter sido a um grupo menor.

Outro tema do encontro tratado por Lula foi a política de crédito do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de um possível governo . Lula disse que a grande política será de microcrédito, focada nos pequenos e médios, mas “sem inviabilizar ambiente de negociação da grande empresa”.

O jantar no apartamento de Renault reuniu 30 pessoas. Entre os empresários presentes estavam, entre outros, João Camargo (Grupo Esfera), Pedro Silveira (Upon Global Capital), Carlos Sanchez (EMS), Cândido Pinheiro (Hapvida), Matheus Santiago (Ageo Terminais) e Rosângela Lyra (ex-representante da Dior no Brasil).

Lula
O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva durante solenidade comemorativa dos 10 anos da reforma do Judiciário (José Cruz/Agência Brasil)
Fonte: G1

Siga a Gazeta Regional por meio das Redes Sociais

Acompanhe o Facebook da Gazeta, Clique aqui!

Quer fica bem informado sobre o que acontece na sua cidade, bairro ou região? Então, siga as redes sociais da Gazeta Regional e fique por dentro das principais informações de sua região, Brasil e do mundo.

https://gazetaregional.com.br/
Gazeta Regional

Gazeta Regional trazendo sempre o melhor conteúdo para você.

Gostou da novidade? Então, clique aqui e habilite seu App gratuitamente para receber os principais conteúdos da Gazeta direto em seu celular. Tudo no conforto de suas mãos, em apenas um toque, você ficará muito bem informado.

Quer saber Mais sobre Notícias de Campinas e Região? Clique aqui

Continue lendo
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Últimas Notícias