Conecte-se conosco

Mundo

Dez morrem após ataque a tiros em supermercado no Colorado, diz polícia.

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

A polícia da cidade de Boulder, no Colorado (EUA), confirmou a morte de ao menos dez pessoas em um ataque a tiros em um supermercado do município na tarde desta segunda-feira (22).

A confirmação foi dada em entrevista concedida à noite pelo chefe do departamento, Maris Herold. De acordo com o policial, um suspeito foi preso portanto uma arma parecida com um fuzil AR-15. A motivação do ataque não foi divulgada. Entre os mortos no ataque está um policial de Boulder.

O ataque ocorreu no supermercado King Soopers da cidade, que fica 30 km a noroeste da capital do estado, Denver.

Mais cedo, o governador do Colorado e o prefeito de Boulder se referiram no Twitter ao que chamaram de uma “tragédia”. “Nossa comunidade logo vai chorar suas perdas”, escreveu o prefeito Sam Weaver.

Atirador no estacionamento do supermercado

Agentes foram ao local após receber uma denúncia sobre a presença de um atirador no estacionamento do supermercado, afirmou uma fonte policial à rede de televisão ABC.

Em imagens cuja autenticidade não foi confirmada pelas autoridades, pelo menos três corpos são vistos estirados no chão, dentro e no entorno do supermercado, enquanto se ouvem disparos.

Uma jovem disse à emissora Fox 10 ter visto pelo menos “um morto”, levado pelas equipes de emergência em uma “bolsa mortuária”.

Dezenas de membros das forças de segurança cercaram o estabelecimento meia hora depois dos primeiros tiros. Eles colocaram veículos blindados na entrada.

Ataque transmitido ao vivo

Imagens transmitidas ao vivo durante a operação por uma testemunha presente no local mostravam pelo menos uma pessoa, um homem vestindo apenas shorts, sendo escoltado para fora do supermercado por agentes com as mãos algemadas nas costas e o que parecia ser uma leve lesão na perna.

Mais tarde, os clientes que foram conduzidos para um local seguro fora da loja estavam sentados enrolados em cobertores e conversando com socorristas.

* Com informações da AFP..

Mundo

JBS anuncia compromisso global de se tornar Net Zero até 2040

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Objetivo de zerar o balanço de emissões de gases causadores do efeito estufa é inédito no setor de proteína animal global

A JBS, segunda maior empresa de alimentos do mundo e líder no setor de proteína, deve se tornar Net Zero até 2040, ou seja, a Companhia se compromete a zerar o balanço de suas emissões de gases causadores do efeito estufa, reduzindo a intensidade de emissões diretas e indiretas e compensando toda a emissão residual. Esse compromisso foi formalizado hoje, em Comunicado ao Mercado entregue à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A meta Net Zero da JBS inclui as operações globais da empresa, assim como sua diversificada cadeia de valor, que engloba produtores agrícolas e demais fornecedores, além de clientes, em seus esforços para chegar a emissões líquidas iguais a zero em 2040.

A JBS é a primeira grande empresa global do setor de proteína a estabelecer uma meta Net Zero. Esse compromisso ambicioso reflete o propósito da Companhia de suprir as necessidades alimentares e nutricionais da crescente população mundial de forma cada vez mais sustentável, buscando preservar os recursos do planeta para as gerações futuras. Como parte dessa missão, a empresa assinou a iniciativa “Ambição Empresarial pelo 1,5°C”, do Pacto Global das Nações Unidas, pela qual se compromete a definir metas com base científica para alcançar o Net Zero em sua cadeia de valor até, no máximo, 2050 – objetivo que a JBS se propõe a atingir 10 anos antes. Esse esforço se alinha também com o objetivo do Acordo de Paris de limitar o aumento da temperatura global a 2°C, com esforços para contê-lo em 1,5°C, quando comparado aos níveis pré-industriais.

“As mudanças climáticas são o grande desafio do nosso tempo e devemos agir com urgência para combater seus efeitos negativos”, diz o CEO global da JBS, Gilberto Tomazoni. “Como uma das mais diversificadas empresas globais de alimentos, temos a oportunidade de usar nossa escala e influência para ajudar a liderar uma transformação sustentável dos mercados agropecuários que empodere produtores, fornecedores, clientes e consumidores. A agropecuária pode e deve ser parte da solução climática global. Acreditamos que, por meio de inovação, investimento e colaboração, o Net Zero está ao nosso alcance”.

A empresa desenvolverá metas de redução de emissões de gases de efeito estufa em suas operações globais e cadeias de valor na América do Sul, América do Norte, Europa, Reino Unido, Austrália e Nova Zelândia. Como próximo passo, a JBS apresentará um plano com base científica para chegar ao Net Zero, consistente com os critérios estabelecidos pela Science-Based Targets initiative (SBT). A empresa fornecerá, ainda, atualizações anuais sobre seu progresso para garantir a transparência, além de passar a divulgar seus riscos financeiros ligados à mudança do clima, em linha com a iniciativa TCFD – Task Force on Climate-related Financial Disclosure.

A JBS adotará diversas estratégias para alcançar o Net Zero até 2040, incluindo:

  • Redução das emissões nas nossas unidades: até 2030, a JBS reduzirá em pelo menos 30% suas emissões de escopos 1 e 2, em comparação com as do ano de 2019.
  • Fomento à inovação: a JBS investirá US$ 1 bilhão na próxima década em soluções que visem reduzir as emissões de carbono em suas operações, engajando colaboradores e financiando projetos que serão avaliados por uma comissão formada por executivos da empresa, especialistas, entidades e acadêmicos.
  • Eliminação do desmatamento: a JBS focará em uma gama de soluções baseadas na natureza, como investimentos em reflorestamento e restauração florestal. A empresa reforça seu compromisso de alcançar uma cadeia de fornecedores de gado – incluindo os fornecedores de seus fornecedores – livre de desmatamento ilegal na Amazônia até 2025. E nos demais biomas brasileiros até 2030. A Companhia tem como meta, ainda, zerar o desmatamento em sua cadeia de fornecimento global até 2035.
  • Uso de 100% de eletricidade renovável nas unidades em todo o mundo: a JBS vai aderir ao RE 100, convertendo para 100% de eletricidade renovável toda a sua operação até 2040.
  • Inovação na agricultura: a JBS investirá maciçamente em Pesquisa e Desenvolvimento para implementar soluções de mitigação das emissões, como melhorias nas práticas agrícolas regenerativas, projetos de intensificação de sequestro de carbono no solo e tecnologias voltadas para as fazendas dos fornecedores.
  • Prestação de contas e incentivo: a remuneração variável de altos executivos da JBS será atrelada às metas de mudança climática. Os líderes globais da Companhia vão supervisionar a alocação de capital, fomentar o envolvimento de fornecedores e desenvolver parcerias com outras empresas, governos e universidades, de modo a garantir a sustentação e o atingimento do compromisso Net Zero.

Com o compromisso assumido hoje, a JBS reforça sua responsabilidade com a agenda ESG (Ambiental, Social e Governança), uma caminhada iniciada há mais de uma década, com investimentos significativos em ações concretas por toda a sua cadeia de valor. São exemplos desse esforço o sistema de monitoramento socioambiental de 100% dos fornecedores de matéria-prima da Companhia no Brasil, que está sendo expandido via tecnologia blockchain para os fornecedores de seus fornecedores, além dos investimentos em economia circular. Na América do Norte, a JBS já reduziu em cerca de 20% suas emissões desde 2015. No Reino Unido e Irlanda do Norte, a Moy Park diminuiu a intensidade de suas emissões em mais de 77% desde 2010, e a Pilgrim’s UK já tinha se comprometido a ser Net Zero até 2040.

Nesta quinta-feira, 25, o CEO Global da JBS, Gilberto Tomazoni, compartilhará e discutirá o compromisso Net Zero 2040 da Companhia na Cúpula Global 2021 da Iniciativa de Governança Climática (CGI, na sigla em inglês), entidade que surgiu no âmbito do Fórum Econômico Mundial (WEF, na sigla em inglês).

Continue lendo

Mundo

Influencer japonesa motociclista é desmascarada; trata-se de um homem de 50 anos

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Os fãs de uma jovem motociclista ficaram surpresos ao descobrir que ela é, na verdade, um homem de 50 anos. A piloto japonesa Azusagakuyuki ganhou um grande número de seguidores nas redes sociais por postar fotos “dela mesma” posando em diversos lugares com sua moto. As informações são do jornal Daily Star.

No seu perfil, Azusagakuyuki escrevia sobre seu amor por motos e também postava fotos mais picantes de si mesma deitada na cama com aparentemente pouca ou nenhuma roupa. Com longos cabelos ruivos, maquiagem nos olhos e traços femininos, a maioria das pessoas acreditava que a usuária era uma mulher jovem.

No entanto, em fevereiro, uma das fotos postadas por Azusagakuyuki mostrava o rosto de um homem no espelho da moto. A desconfiança sobre a verdadeira identidade do motociclista levou uma equipe de TV local a finalmente encontrá-lo e descobrir a verdade.

Continue lendo

Mundo

Escolas reabrem entre medo do Covid-19 e do atraso no aprendizado, mas o número de contaminados sobe

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Após quase um ano sem receber alunos para atividades de ensino regulares, sem vacina à vista tanto para trabalhadores quanto para estudantes e com muitas incertezas dos pais em meio ao agravamento da pandemia do Covid-19 no País, milhões de alunos Brasil e no mundo retornam para as salas de aula. No Brasil, governos de pelo menos 10 Estados marcaram o retorno em fevereiro enquanto o de outros seis, incluindo o DF, para março.

Na maioria dos Estados, os pais podem escolher se mandam os filhos para a escola neste primeiro momento ou não. Assim, os colégios devem promover um revezamento entre os estudantes para participação nas aulas presenciais e no ensino remoto.

No entanto, após a retomada, pelo menos 11 escolas públicas e privadas do estado de São Paulo já tiveram que paralisar as atividades temporariamente devido ao aumento dos casos do Covid-19, mostra levantamento feito junto à Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) e o Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de SP (SIEEESP).

Na Itália, novos variantes do coronavírus também causaram o aumento nos números de infectados e várias escolas fecharam em diversas regiões do país. Há alguns meses, especialistas quiseram convencer as autoridades a manter as autoridades toda educação aberta para preservar o conhecimento e integridade psíquica do aluno. O governo italiano manteve parte das escolas abertas com 50% dos estudantes. Vários países europeus também, mas com a variantes começaram a fechar de novo.

A Alemanha deixou as escolas fechadas em janeiro. A França fechou em parte e aumentou muito os casos. A Espanha manteve as escolas abertas.

Agora, o mais recente relatório do Instituto Superior de Saúde da Itália, indica que a faixa etária dos 8 aos 19 anos é atualmente a que tem mais infectados. Devido ao variante, várias escolas estão fechando no país.

Continue lendo

Últimas Notícias