Conecte-se conosco

Uncategorized

A Campanha Setembro Amarelo acabou mas o assunto não deve ser cessado

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Paula Partyka [email protected]

O mês de setembro terminou e muito foi falado sobre a Campanha Setembro Amarelo. Este é o mês internacional de prevenção ao suicídio e, para entender o que é prevenção, é preciso entender um pouco contra o que é essa prevenção, pois só se pode agir diante de um fenômeno que se está disposto a conhecer.
Por isso, a psicóloga Clínica Deborah Voltan explica que o suicídio é um desfecho para uma situação complexa, que reúne uma série de fatores conflituosos nos campos social e pessoal do indivíduo, levando em conta seu ambiente, sua formação no campo dos relacionamentos  e até mesmo sua saúde. “Não é possível justificar ou explicar o suicídio por uma única causa aparente, já que o ato é um desfecho para o processo com inúmeros fatores que causam sofrimento intenso. Portanto, embora achar explicações seja uma tendência natural, julgar ou pressupor motivo exato para um acontecimento como esse, é bastante difícil e um tanto quanto simplista”. 

“Diante de uma pessoa nesse dilema, julgar, criticar ou mesmo aconselhar com base nos seus próprios valores e crenças, não ajuda. Seja para quem cometeu uma tentativa ou para aqueles próximos de pessoas que tiveram o ato consumado”. Deborah comenta que, ao contrário do que se pensa, a grande maioria das pessoas que tenta ou consuma o suicídio, não tem real intenção de morte e sim, de colocar fim ao sofrimento intenso que as consome e para o qual não vêem outra saída, senão morrer.

– “Quem quer se matar, não necessariamente se mata mesmo”. A psicóloga afirma que essa afirmação é um mito pois muitas vezes a tentativa é uma forma de comunicar uma dor insuportável. É preciso entender o acontecimento do suicídio como um sinal daquilo que não se pode dizer, uma dor pela qual torne-se impossível viver. Um ato desesperado que denota um pedido de ajuda, uma mensagem de socorro a qual precisamos escutar. Uma mensagem que já foi mandada por vezes, repetidamente e continuará sendo mandada até que seja vista, ouvida ou quando sem resposta que o ato seja consumado. Muitas vezes, não é possível controlar ou prever todas as variáveis que apontam para uma mensagem como essa, mas ajuda bastante estar atento e observar as pessoas que sofrem, pois ainda que seja uma maneira de chamar atenção, ou uma aparente ameaça, ela continua dizendo respeito a algo que não pode ser ignorado. 

– “Cão que ladra não morde”. Deborah diz que, contrariando o senso comum, quem ameaça pode fazer. Quem tenta pode tentar de novo e quem fala, pode tentar. 

A psicóloga ainda deixa dicas. Prevenir também é ajudar:

  1. Observe: o comportamento de isolamento e discurso de desistência e menos-valia.
  2. Ouça: muito mais que aconselhar ou criticar, escute! A pessoa precisa falar sobre aquilo que aflige, sobre os motivos que impedem de viver e mesmo sobre o desejo de morrer. Deixar com que a pessoa fale e oferecer uma escuta disposta e interessada, pode ajudar a esvaziar um pouco o copo cheio, e muitas vezes a diminuir o desespero que a pessoa sente naquele momento, o que ajuda ela a ganhar tempo para refletir e se acalmar. É importante poder ouvir sobre a vida e a dor que a pessoa tem. 
  3. Oferecer apoio, fortalecer o vínculo: fazer com que a pessoa saiba que não está sozinha.
  4. Proteger: quando possível, evitar acesso aos meios de suicídio, bem como, situações que a pessoa se coloque em risco.
  5. Notificar autoridades responsáveis e capacitados para lidar com o problema: Centro de saúde (no caso de pessoas próximas ao indivíduo), bombeiro ou polícia militar (em caso de tentativa eminente).

A sua disposição e ajuda quando bem direcionada pode fazer toda a diferença para quem precisa. Uma conversa sincera, pode realmente evitar que algumas pessoas tirem a própria vida.

Nos últimos anos o suicídio entrou na agenda do SUS como um problema de saúde pública, esse ano com parceria da Anatel, o serviço de escuta Centro de Valorização da Vida (CVV), tornou-se gratuito em todo país. Quem precisar pode ligar gratuitamente para o telefone 188.

Atende também pelo site: www.cvv.org.br. Todos atendimentos são mantidos em anonimato e os voluntários não tem qualquer tipo de contato com quem liga, além do atendimento. 

Deborah Voltan

Psicóloga Clínica – CRP: 06/122802.

Especialista em Psicologia Analítica pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp.
Extensão em Prevenção ao Comportamento Suicida pela Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp.
Pós-graduanda em Neuropsicologia pela Faculdade de Medicina da USP.
Contato: (19) 99494-3386

Continue lendo

Uncategorized

Com novas regras de agendamento e acesso, Holambra recebe 49 excursões durante feriado

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Holambra recebeu entre os dias 04 e 07 de setembro 49 ônibus de fretamento turístico – todos eles devidamente identificados e com agendamento prévio confirmado através de plataforma eletrônica implementada pelo Departamento Municipal de Turismo e Cultura. O sistema põe em prática as novas regras de acesso e permanência de excursões na cidade, estabelecidas por meio de Decreto no dia 26 de agosto.

O documento, que revoga a proibição instituída em junho de 2021 em função da pandemia, determina que esses veículos passem a ser cadastrados pelo Portal do Governo, em www.holambra.sp.gov.br, na aba de Serviços, Cadastro para Excursões.

Apenas os 20 primeiros ônibus inscritos têm, desde então, o ingresso liberado mediante autorização prévia, que deve ser impressa e afixada nos veículos em local visível para possibilitar o serviço de fiscalização. Ainda de acordo com a nova normativa, cadastros adicionais serão aceitos em caráter excepcional com apresentação de reservas de hotéis ou pousadas em Holambra ou em um raio de 70 km.

No sábado, 04, 12 excursões passaram pela Capital Nacional das Flores, com crescimento gradual no domingo, 17, e na terça-feira, 20.

De acordo com a diretora da pasta, Alessandra Caratti, a avaliação dos primeiros dias com nova normativa é positiva. “Acompanhamos de perto a chegada das excursões agendadas e o cumprimento das novas regras de circulação desses veículos. Foi um trabalho de muito êxito, sem qualquer ocorrência durante todo o feriado”, diz.

Segundo ela, a liberação restrita a ônibus previamente inscritos e autorizados tem por objetivo organizar o crescente fluxo de visitantes, assegurando experiências turísticas que sejam boas e adequadas à estrutura da cidade. “Queremos receber bem as pessoas que escolhem Holambra como destino. Pra isso, é preciso conduzir com muita organização o esquema de excursões de acesso coletivo”, explica.

Continue lendo

Uncategorized

Pré-candidata a deputada estadual, Taís Souza, se reúne com vice-prefeito de Pedreira, Fábio Polidoro

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

A pré-candidata a deputada estadual Taís Souza e o presidente nacional do Partido da Mobilização Nacional (PMN), João Garcia, visitaram na semana passada o vice-prefeito de Pedreira, Fábio Polidoro. Na reunião, realizada nas dependências do Paço Municipal, Polidoro, Taís e João Garcia, conversaram sobre projetos futuros e estreitaram laços.

“Eu sempre fui muito bem recebida pelo Polidoro e acho que essa proximidade entre quem está no governo e a sociedade civil é sempre importante. Agradeço muito pela conversa”, diz na ocasião Taís Souza.

Continue lendo

Uncategorized

Rede municipal de ensino de Holambra amplia retorno presencial a partir desta segunda, 02

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

As escolas estão preparadas para receber os alunos com segurança, respeitando todos os cuidados sanitários preventivos

A partir desta segunda-feira, 02, a rede municipal de ensino de Holambra amplia o retorno presencial dos alunos nas escolas, acompanhando diretrizes do Decreto Estadual nº 65.849, publicado no início desse mês. Desde a retomada das aulas presenciais, em 28 de junho, a capacidade das salas estava limitada a 35% do número de alunos.

A normativa, reforçada pela Resolução nº 65/2021 da Secretaria de Educação do Governo Paulista, autoriza até 100% da capacidade de ocupação nas salas de aula, desde que respeitado o distanciamento mínimo de um metro entre os alunos. O percentual de ocupação é definido de acordo com o espaço físico de cada escola. Apesar da ampliação, o retorno permanece opcional e o conteúdo continua disponível de modo híbrido – em sala de aula e por meio da plataforma online.

Com o retorno ampliado, o horário das creches municipais entre 02 e 06 de agosto é das 6h45 às 11h30. A partir do dia 09 o horário de saída é às 17h. Os turnos escolares para os demais alunos continuam os mesmos: das 7h às 12h no período da manhã, das 12h40 às 17h40 no período da tarde e das 19h às 23h para o Ensino de Jovens e Adultos (EJA).

A diretora interina do Departamento Municipal de Educação, Claudicir Pícolo, detalha como será determinada a quantidade de alunos por sala de aula: “Em escolas onde as classes têm menor número de alunos podemos convocar até 100% deles, respeitando o distanciamento de 1 metro. Em outras, onde não é possível atender esse distanciamento, trabalharemos com dois grupos de alunos, intercalando os dias de presença”, explica.

A diretora observa ainda que o retorno presencial não é obrigatório, mas o cumprimento de todas as atividades pedagógicas, sim. “Mesmo de maneira remota, as tarefas fazem parte da rotina da criança, são obrigatórias e devem ser monitoradas pelos pais ou responsáveis”, conclui.

Continue lendo
Propaganda

Categorias

Propaganda

Últimas Notícias