Conecte-se conosco

Brasil

Pai, mãe e dois filhos morrem de Covid-19 em MT no intervalo de 42 dias

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Família chegou a ficar internada durante tratamento da doença, mas os quatro morreram após problemas pulmonares

Uma família de Cuiabá morreu em decorrência da Covid-19 entre os dias 20 de fevereiro e 03 deste mês. O pai Octacilio dos Santos Araujo, de 91 anos, a mãe Geny Maria Haddad Araujo, de 78 anos, e os filhos Monique Haddad Araujo Patzlaff, 55 anos, e João José Haddad Araujo, 58 anos, chegaram a ser internados para tratar a doença, mas não resistiram às complicações causadas pelo coronavírus.

A estudante Myllena Haddad Araujo Patzlaff, filha de Monique, contou ao G1 que a família sempre tomou todos os cuidados de prevenção e que a perda deixou todos desolados.

“É uma tragédia. Eram pessoas muito amadas e queridas por todos, pessoas maravilhosas com corações mais maravilhosos ainda. A melhor mãe que eu poderia ter, o melhor avô e avó que eu poderia ter e o melhor tio que eu poderia ter. Sinto falta deles todos os dias, e [eles] estarão para sempre em nossos corações e pensamentos”, lamenta.

De acordo com Myllena, o primeiro a sentir os sintomas da Covid-19 foi o avô Octacilio, no dia 10 de fevereiro. Ele foi contaminado pelo coronavírus por duas vezes.

Segundo ela, a suspeita é que o avô tenha sido contaminado por uma profissional da saúde que foi até a casa da família para realizar um tratamento e que estava com a doença, mas não sabia até então.

Octacilio chegou a tomar a vacina contra a Covid-19 no dia 13 de fevereiro; no entanto, ele já estava contaminado. No mesmo dia, o idoso teve febre e procurou um hospital.

“A médica disse que [a febre] era uma reação da vacina, passou uns remédios e o liberou. Como ele tinha pego a Covid na metade de dezembro, não imaginávamos que poderia ser [um novo contágio], achávamos que era reação da vacina mesmo”, conta.

Myllena disse que, dois dias depois da consulta, a febre do avô voltou. Mais uma vez, ele procurou o médico, que indicou novos medicamentos, e Octacilio apresentou uma melhora temporária.

“No dia 17 de fevereiro ele teve falta de ar, fez uso de oxigênio em casa, e no dia 18 foi para o hospital. A médica que o atendeu pediu exames de sangue, tomografia e teste de Covid. O resultado foi positivo. O pulmão já estava 50% comprometido”, relata.

Octacilio foi encaminhado a uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e, durante o tratamento, contraiu uma infecção bacteriana. Dois dias depois, em 20 de fevereiro, ele morreu.

Família infectada
Myllena contou que, no mesmo dia do falecimento do avô, toda a família realizou testes de Covid, que deram positivo. A mulher de Octacilio foi intubada oito dias após a morte dele, também para tratar a doença. Para evitar a estadia no hospital, ela foi tratada em casa. No entanto, devido ao comprometimento dos pulmões pela Covid, Geny faleceu no dia 6 de março.

Já a mãe de Myllena, Monique, ficou internada cerca de duas semanas e faleceu.

“Minha mãe estava com home care em casa igual a minha avó. No dia 3 de março, foi para o hospital, no dia 4 intubaram ela, e no dia 15 de março, ela faleceu”, conta Myllena.

O tio de Myllena, João José, que tinha se mudado recentemente para Valinhos, foi internado na cidade no dia 6 de março, apenas para acompanhamento médico e sem a necessidade de internação. No dia 30, ele foi liberado para seguir o tratamento em casa.

No entanto, segundo Myllena, na madrugada da última sexta-feira, 02, João voltou para o hospital e foi direto para UTI. No sábado, 03, ele passou por um procedimento para retirada de água do pulmão, e como já estava muito debilitado, o estado acabou se agravando e ele morreu. Porém, não existe confirmação de que o procedimento cirúrgico ocasionou a morte dele.

“Meus avós deixam uma filha, minha mãe deixa duas filhas e o marido, e meu tio deixa suas duas filhas”, disse Myllena.

Outros membros da família também foram contaminados pelo coronavírus, mas não tiveram sintomas graves, fizeram o tratamento isolados em casa e já estão recuperados.

Servidores públicos
Octacílio era ex-secretário de Segurança Pública de Mato Grosso. A filha Monique foi vereadora por Chapada dos Guimarães, a cerca de 70 km de Cuiabá, e o filho João José era ex-secretário de Educação de Sumaré.

Covid-19 em MT
A Secretaria Estadual de Saúde (SES) notificou, até domingo, 04, 315.087 casos e 7.999 mortes pela doença desde o início da pandemia. Mais de mil mortes por Covid-19 foram registradas nos últimos 14 dias.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 505 internações em UTIs públicas e 500 enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 97,68% para UTIs adulto e em 57% para enfermarias adulto.

Caso semelhante em SP
No interior de São Paulo, os trigêmeos Pedro, Paulo e Felipe, de 5 anos, perderam a mãe, a avó e a tia para o novo coronavírus em um intervalo de apenas oito dias. Eles estão sob os cuidados de um tio, em Votuporanga. O tio das crianças tenta a guarda provisória dos sobrinhos após a morte da família. O pai dos trigêmeos também morreu em um acidente de trânsito há cinco meses.

Fonte: Pai, mãe e dois filhos morrem de Covid-19 em MT no intervalo de 42 dias | Mato Grosso | G1 (globo.com)

Continue lendo

Brasil

10 Lições que a pandemia deixou para a educação

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Alunos, professores e famílias passaram a ter uma nova visão sobre o futuro do ensino no Brasil

Em março de 2020 o Brasil se viu diante de um novo e assustador momento: a quarentena e o isolamento devido à pandemia da Covid-19. E os estudantes foram severamente afetados com o fechamento das escolas e a adaptação das aulas online.

A coordenadora do Ensino Fundamental do Colégio Divino Salvador ,Cintia Pedrisa, listou dez lições que este novo momento deixou para a educação dos alunos e o que podemos levar de aprendizado de tudo isso.

  • Os estudantes passaram a ter mais autonomia e responsabilidades nos estudos e, como isso, serem protagonistas da sua rotina escolar;
  • A valorização da presença tanto dos professores quanto dos próprios alunos dentro da escola;
  • Professores e alunos viraram grandes parceiros das tecnologias em benefício dos estudos, aprimorando técnicas de ensino e aprendizado com os recursos disponíveis;
  • Os pais e responsáveis tiveram papel fundamental no processo de aprendizagem dos filhos;
  • A inovação contínua e o uso das tecnologias a favor da educação, com novos métodos e possibilidades de ensino;
  • A valor da coletividade e a colaboração se mostraram ainda mais necessárias, a importância de estar com o outro, interagir com os colegas;
  • Na escola, o potencial de autonomia das crianças é trabalhado com muito mais propriedade;
  • A parceria entre pais e escolas nunca foi tão reforçada como agora, e a ideia é que se permaneça assim devida fundamental importância;
  • A aproximação da relação entre o ensino e a aprendizagem à distância entre equipe escolar e responsável pelo aluno, com comunicação diária e orientações pontuais e coletivas, refletindo o engajamento pedagógico;
  • O estímulo às novas linguagens, com currículo focado no letramento digital e conhecimentos advindos de experiências virtuais.

A verdade é que a pandemia ficará marcada na memória e deixará grandes ensinamentos para pais, alunos e educadores. “A adaptação aos novos modelos de ensino veio de uma maneira repentina e impositiva, mas com certeza deixará bons frutos para a educação das novas gerações”, conclui Cintia.

Continue lendo

Brasil

BYE BYE FRIZZ: Nova linha da Cadiveu Essentials garante 72h sem frizz

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Usando tecnologia exclusiva, os produtos da marca brasileira unem performance, eficiência e responsabilidade sócio-ambiental

O Grupo Cadiveu lança, nesta semana, sua nova linha de produtos da marca Cadiveu Essentials. Os produtos da Bye Bye Frizz garantem 72 horas sem frizz e possuem fórmula 100% vegana. Transformam cabelos lisos, alisados, cacheados crespos ou ondulados, que estejam indisciplinados e com frizz, em fios macios, disciplinados e brilhantes. Sua tecnologia Frizz Free Complex atua na fibra capilar, selando e nutrindo as cutículas dos cabelos. O resultado foi cientificamente comprovado pelo time de especialistas de Cadiveu, em estudos rigorosos que demonstraram o poder de memória anti-frizz do produto após sua aplicação.

A tecnologia Frizz Free Complex é composta, principalmente, por 3 ingredientes naturais: óleo de camélia, responsável pelo efeito memória, nutrindo e disciplinando os fios; óleo e extrato de germe de trigo, que ajuda a melhorar a aparência de cabelos secos e fecha a cutícula dos fios danificados; e, por fim, a manteiga de karité (matéria prima africana), rica em ácidos graxos saturados, ômega 9, ômega 6, ômega 3 e vitamina E, que garante cabelos hidratados e com toque aveludado.

Resultado cientificamente comprovado
A eficiência da linha foi cientificamente comprovada em laboratório, durante um ensaio em que duas mechas de cabelo foram expostas à umidade em uma câmara controlada, durante mais de três dias. Uma das mechas foi tratada com produtos comuns, enquanto, na outra, foi feito o tratamento com os produtos da linha Bye Bye Frizz.

Os resultados foram evidentes. Em 24 horas, a amostra tratada com produtos comuns já demonstrava um aspecto seco, com o dobro de volume e muito frizz. Ao mesmo tempo, a amostra tratada com Bye Bye Frizz apresentava aspecto hidratado, sem frizz, com muito brilho e volume controlado. Ao fim da experiência, após 72h de sucesso, a Cadiveu decidiu ampliar o teste por mais 4 horas de exposição das mechas e aumentar a umidade da câmara, com o intuito de desafiar ainda mais seu produto. Como resultado final, foi constatado que a amostra se manteve com aspecto de hidratado e sem frizz, ainda que indicasse certo aumento de volume.

A linha
A linha é composta por 5 produtos:
shampoo, condicionador, máscara, frizz killer (fórmula leve com proteção térmica sem silicone para controle do frizz) e selagem gradativa (fórmula de ação prolongada, garante um cabelo liso perfeito, com proteção térmica). Todos os itens são compostos em até 97% de origem natural, livre de testes em animais (selo PETA) e embalagem 100% feita de materiais reciclados.

Created with RNI Films app. Preset ‘Agfa Optima 200 v.2’

Shampoo Bye Bye Frizz: Promove uma experiência de limpeza única e eficiente. Sua textura cremosa e perolada purifica os fios na medida certa, promovendo uma espuma nutritiva e cremosa, que deixa os fios com toque sedoso após a aplicação. Funciona com cabelos lisos, alisados, cacheados, crespos ou ondulados.

Condicionador Bye Bye Frizz: Transforma o cabelo indisciplinado e com frizz em fios macios disciplinados e brilhantes. A tecnologia Frizz Complex atua na fibra capilar para nutrir e selar as cutículas dos cabelos, garantindo um efeito memória que elimina o frizz por tempo prolongado.

Máscara Bye Bye Frizz: Transforma o cabelo indisciplinado e com frizz em fios macios, disciplinados e brilhantes. Com fórmula altamente concentrada com a tecnologia Frizz Free Complex atua na fibra capilar para nutrir e selar as cutículas dos cabelos, garantindo um efeito memória que elimina o frizz por tempo prolongado, em todos os tipos de cabelos.

Created with RNI Films app. Preset ‘Agfa Optima 200 v.2’

Leave-In Frizz Killer Bye Bye Frizz: É um sistema anti-frizz de longa duração com proteção térmica sem silicone para um toque leve e natural. Controla o frizz por até 72 horas e disciplina os fios. Sua fórmula sela as cutículas e protege contra danos. Garante cachos com efeito memória e funciona para todos os tipos e texturas de cabelo.

Created with RNI Films app

Selagem Gradativa Bye Bye Frizz: Com uma fórmula de ação prolongada, garante um cabelo liso, perfeito, protegido por 72 horas mesmo com umidade de até 70%, funciona para todos os tipos de cabelos e texturas.

Sobre o Grupo Cadiveu
O Grupo Cadiveu é uma empresa de cosméticos brasileira, com presença consolidada em mais de 80 países. É a terceira que mais exporta produtos de beleza do Brasil para outros mercados. E desenvolve cosméticos capilares de altíssima qualidade, com responsabilidade socioambiental, incluindo em sua linha de produção insumos naturais, embalagens recicladas e oferecendo educação focada na transformação de seus clientes.

O portfólio do grupo é subdividido em duas marcas. A Cadiveu Professional, voltada para profissionais de salões de beleza espalhados pelo mundo, que realiza mais de 27 mil serviços e busca empoderar as mulheres através de suas linhas de tratamento em reconstrução, reparação, reposição de massa capilar, brilho, cabelos cacheados, nutrição e saúde dos fios. Ao passo que a Cadiveu Essentials, voltada para o consumidor final, é composta pela linha Vegan Repair by Anitta, a linha Quartzo Shine by Boca Rosa e a novíssima Bye Bye Frizz, que oferecem soluções tecnológicas e eficientes para o tratamento diário do cabelo.

Continue lendo

Brasil

Cerrado é a savana brasileira e um bem desvalorizado pelo País

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Por Evandro Tokarski

Para os desavisados e menos informados, a aparência pode enganar. Afinal, o Cerrado brasileiro tem mais de uma cara. A área com árvores retorcidas, folhagens mais secas, pouca umidade, é Cerrado. Mas também é Cerrado a mata ciliar. Ou ainda a mata de galeria, onde as copas das árvores se encontram, formando túneis. Algo tão lindo de se ver quanto a floresta amazônica.

O Cerrado é o segundo maior bioma brasileiro, atrás apenas, justamente, da rica floresta tropical. Trata-se do bioma que cobre 25% do território brasileira, fundamental para nossa biodiversidade, e que altamente dinâmico e sensível às mudanças do clima, possuindo apenas duas estações bem definidas – a da seca e a da chuva. Isso faz com que diferentes paisagens sejam observadas em momentos do ano.

Por isso, ao conhecê-lo, é preciso não se deixar levar pelo que se vê de imediato. O Cerrado é uma aula de resiliência a céu aberto que a natureza nos dá, seja pela vegetação, pelos rios intermitentes e perenes ou pela riqueza da fauna.

Destaco ainda, como CEO de uma companhia que reconhece a importância dos recursos naturais para a nossa existência no planeta, que não tenho dúvidas da eficiência do Cerrado: aproveita de forma extremamente competente os recursos naturais disponíveis e nos oferece uma flora composta por mais de 12 mil espécies diferentes, segundo a Embrapa – centenas já tem seus valores econômicos identificados, seja para a produção de alimentos, medicamentos ou cosméticos, entre outros. Suas formas e cores, na época de chuva, ainda atraem polinizadores. Se não fosse pela ação do homem, seu funcionamento certamente seria perfeito.

É neste espaço imenso, que cobre 25% do nosso território, onde boa parte dos rios seca quando acaba a temporada de chuva, que nascem os rios São Francisco e Parnaíba. Entre outros fatores, já se sabe da importância desse ecossistema para a nossa geração de energia – isso significa que, para que os brasileiros tenham energia elétrica em casa, dependemos de quase 90% das águas que são oriundas do Cerrado.

E é claro que sabemos de tudo isso. Nos últimos anos, o Brasil vem explorando o Cerrado. A agropecuária, principalmente, mas não a única atividade desenvolvida na região. O valor do Cerrado, apesar de não completamente descoberto – ainda há muito a saber e estudar – já está mais do que comprovado. Apesar disso, pouco se faz para preservá-lo.  

Neste ano, o Cerrado registrou o maior número de focos de incêndio para esse período desde 2012. Foram 31.566 pontos de fogo entre 1º de janeiro até 31 de agosto, contra 40.567 no mesmo período em 2012, de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Trata-se do reflexo de uma realidade triste que vem sendo observada nos últimos anos, em que a pressão pelo desmatamento sem critérios só aumentou. Sem uma política pública clara para sua proteção e exploração, o fato é que, se continuarmos neste caminho, em breve, perderemos essa fonte de biodiversidade – e a natureza ficará sem um bioma considerado a ligação entre diversos outros. O impacto será direto na manutenção das espécies, tanto vegetal como animal.

Também é preciso pensar em programas voltados para a população que vive nestas regiões e que sofrem com a seca e a falta de alimentos. É absurdo e triste pensar que, em um solo extremamente fértil, existem pessoas passando fome.

Mais do que ressaltar o valor do Cerrado, é preciso pensar em como cuidar dele e preservá-lo, para que outras gerações possam aproveitá-lo. Pelo Cerrado e por quem virá nas próximas estações, de chuva e de seca.

*Evandro Tokarski é presidente do Grupo Artesanal, líder no mercado de farmácias de manipulação no Centro-Oeste e em Minas Gerais

Continue lendo
Propaganda

Categorias

Propaganda

Últimas Notícias