Conecte-se conosco

Campinas

Operações da EMTU em 2021 apreenderam 41 veículos irregulares na Região Metropolitana de Campinas

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Equipes de fiscalização averiguaram 982 veículos; apreensões de janeiro a agosto aumentaram cerca de 20% em relação a 2020

A Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), em conjunto com a Polícia Militar do Estado de São Paulo, tem realizado operações contra o transporte coletivo de passageiros não autorizado nos municípios da Região Metropolitana de Campinas (RMC), sempre com o apoio da Polícia Militar, Polícia Rodoviária Estadual e prefeituras.

No ano de 2021, até agosto, as ações resultaram em 982 abordagens para averiguação e na apreensão de 41 veículos. Além dos veículos apreendidos, as equipes de fiscalização aplicaram 490 autuações para operadores de linhas metropolitanas em situação regular, mas que cometeram algum tipo de infração.

Em 2020, no mesmo período, a EMTU contabilizou na região a apreensão de 35 veículos em situação irregular, representando um acréscimo de cerca de 20% de um ano para outro.

As multas aplicadas para esses casos podem chegar a R﹩5.212,22. Chama a atenção a situação dos condutores dos veículos apreendidos: não tinham CNH, não portavam a documentação de veículo exigida pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), além daqueles com bloqueios do Detran.

Os agentes averiguam carros, vans, micro-ônibus e ônibus que fazem o transporte intermunicipal metropolitano com o objetivo de combater o transporte irregular de passageiros, oferecendo mais segurança, qualidade e eficiência aos cidadãos que utilizam o sistema metropolitano.

Os veículos autorizados passam por inspeções periódicas nas quais são verificados mais de 400 itens, os condutores são treinados periodicamente, bem como são atendidas todas as normas do Código de Trânsito Brasileiro e aquelas determinadas pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos. Os veículos não autorizados não cumprem essas normas e não há qualquer garantia da sua procedência.

Além disso, as empresas do sistema regular são titulares da concessão, logo precisam cumprir normas contratuais, inclusive em relação ao combate da transmissão do coronavírus, ao passo que os veículos clandestinos operam de forma precária e em concorrência ruinosa já que não cumprem qualquer requisito da legislação.

Continue lendo

Campinas

“Um Brasil que se alimenta e outro que não”

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Famílias que nada tem e sofrem para sobreviver em meio à pandemia com o desemprego e a alta nos preços dos alimentos

A fome no Brasil aumentou mais ainda com o agravamento da pandemia do novo coronavírus. São 116,8 milhões de pessoas vivendo em situação de insegurança alimentar no país, número equivalente a duas vezes a população da Argentina.

O percentual de lares em insegurança alimentar grave (fome) nas regiões brasileiras corresponde a 18,01% no Norte; 13,8%, no Nordeste; 6,9% no Centro-Oeste; e 6% no Sul e no Sudeste; além disso, 11,1% dos lares chefiados por mulheres enfrentam a fome. Os dados são do Inquérito Nacional sobre Insegurança Alimentar no Contexto da Pandemia da Covid-19 no Brasil, desenvolvido pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (Rede PENSSAN).

A pandemia também contribuiu para o aumento dos índices de desemprego, atingindo a marca de 14,1 milhões de pessoas desempregadas, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada em dezembro de 2020. Outra preocupação que tem tirado o sono das famílias brasileiras, principalmente as mais vulneráveis, é a alta nos preços dos alimentos.

Milhares de pessoas não têm o que comer: falta-lhes o alimento básico. Por isso, além de todo o trabalho que realiza ao longo do ano, a Legião da Boa Vontade também promove a sua tradicional campanha Natal Permanente da LBV — Jesus, o Pão Nosso de cada dia!, com o objetivo de fortalecer esse espírito de Solidariedade e angariar doações em prol de quem mais precisa.

Sob o lema “um Brasil que se alimenta e outro que não”, a campanha da LBV está mobilizando doações para entregar, no mês de dezembro, 50 mil cestas de alimentos não perecíveis em 226 cidades brasileiras, as quais vão beneficiar famílias em vulnerabilidade social e em risco alimentar atendidas nos serviços e programas socioeducacionais da Instituição e também famílias assistidas por organizações que são assessoradas e atuam em parceria com a Legião da Boa Vontade. O objetivo é proporcionar a elas um Natal digno e sem fome.

Celebrar o Natal é também ajudar quem mais precisa
Doe itens que compõem a cesta: arroz, feijão, óleo, açúcar, café, leite em pó, macarrão, farinha de mandioca, fubá, farinha de milho, mistura para mingau, extrato de tomate, biscoito de maisena, canjiquinha, sardinha enlatada e sal.

Doe o valor da cesta e a quantidade que puder: acesse o site www.lbv.org.br.
Faça doações via transferência bancária pelo PIX: e-mail: [email protected]

Leve sua doação na LBV: consulte www.lbv.org/enderecos.
Informe-se pelo telefone: 0800 055 50 99.

Acompanhe as ações realizadas pela Legião da Boa Vontade nas redes sociais, pelo endereço @LBVBrasil no Facebook e no Instagram.

Continue lendo

Campinas

Exposição Tarsila Para Crianças chega em Campinas

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

Mostra, inédita na cidade, retrata o imaginário de seres, cores e formas da artista sob a ótica do universo infantil; ingressos já estão à venda

A exposição Tarsila para Crianças chega, de forma inédita em Campinas, no Parque D. Pedro Shopping, administrado pela Aliansce Sonae. Com a curadoria de Tarsila do Amaral, sobrinha-neta da artista, Karina Israel e Patricia Engel Secco, e após várias temporadas de sucesso de público e crítica pelo Brasil, a mostra pode ser visitada até 24 de outubro na Entrada das Árvores. Os ingressos estão disponíveis no site da Sympla.

“Tarsila para Crianças é uma exposição bastante colorida e interativa, onde os visitantes podem vivenciar o mundo da pintora unindo aprendizado e divertimento. Estamos honrados em poder proporcionar essa experiência para Campinas e região. É, sem dúvida, um evento que agrada a família toda”, afirma o superintendente do Parque D. Pedro Shopping, Marcelo Zaffalon.

A exposição retrata, por meio de um circuito de experiências imersivas, o imaginário de seres, cores e formas da pintora modernista. “O percurso foi especialmente desenhado para levar crianças e jovens a conhecer, de maneira inédita e muito divertida, a pintora mais importante do Brasil, Tarsila do Amaral”, explica Karina Israel.

Na exposição, é possível passear por cenários oníricos de grande beleza e até mesmo interagir com as criações de Tarsila, que apresentam e transmitem o significado de suas obras sob a ótica do universo infantil, a partir de sentidos e sensações. Crianças e adultos podem realizar uma viagem entre diferentes dimensões do universo da pintora mais conhecida do Brasil.

“Tarsila do Amaral criou um mundo único, onírico, incontestavelmente belo e que conversa maravilhosamente bem com o universo infantil”, afirma Tarsilinha. “Fico emocionada ao ver crianças brincando e interagindo com os cenários pintados com as cores caipiras, azul puríssimo, rosa violáceo, amarelo vivo e verde cantante, marca registrada da obra de Tarsila”, complementa Patricia Engel Secco.

A visitação é feita por grupos que entram no espaço a cada 30 minutos e podem circular livremente pelas estações durante este período. O uso de máscara facial é obrigatório. Ao passar por cada estação que possui toque, o visitante é orientado a higienizar as mãos com álcool em gel, disponibilizado no espaço. “A experiência segue todos os protocolos sanitários para garantir a segurança dos visitantes, como já é feito no shopping”, completa Zaffalon.

O ambiente é dividido em sete estações temáticas, com onze intervenções que exaltam a criatividade e o olhar de Tarsila do Amaral:

  1. Vila dos Sentidos – A exposição começa com um cenário bucólico que remete à infância de Tarsila na fazenda São Bernardo, onde cresceu brincando com seus mais de 40 gatos e ao som de sua mãe tocando piano. Uma minivila caipira é formada por 4 casinhas tridimensionais, rodeadas por cestos de frutas, com base no quadro A Feira.
  2. Cada casinha apresenta uma característica marcante relacionada à infância da pintora, como o quarto com escova e espelho da época, a sala de estar com piano, foto de família e seus gatos de estimação, seu perfume favorito (Moment Supreme, do Jean Patou), o sabonete (Pinot), objetos daquele tempo, e a cozinha com as frutas. As casas têm janelas que remetem à vista da fazenda, pintada por Tarsila em diversas obras.
  3. Jardim Afetivo – Os visitantes são convidados a embarcar em uma viagem sensorial, com animações e sons, como, por exemplo, os ruídos da estação de ferro, a caixinha de música, o coaxar do sapo, os grilos, que remetem diretamente a quatro quadros de Tarsila:
    Quadro 1 – O Sapo – Um sapo sorridente e juvenil tenta decidir entre a luz do Sol, ao fundo, e o frescor da terra úmida e da sombra, à sua frente. Acima, uma floresta de cactos compartilha involuntariamente da indecisão do pequeno anfíbio.
    Quadro 2 – Estação de Ferro – Em uma paisagem repleta de símbolos e sinais ferroviários, o morro com casas humildes e coloridas se mistura aos trilhos e vagões de uma das principais ferrovias do Brasil, a Estação de Ferro Central do Brasil, que no início do século XX interligava a então capital do Brasil, Rio de Janeiro, a São Paulo e Belo Horizonte, importantes capitais estaduais.
    Quadro 3 – A Boneca – Em seu vestido rodado cor-de-rosa, a boneca parece descansar enquanto se prepara para mais uma dança no universo colorido de Tarsila, onde os tons de azul puríssimo convivem sem se encontrar, o branco traça caminhos, provendo apoio, emoldurando janelas possíveis e fazendo sonhar, sem deixar de conceder espaço para o verde cantante e outros tons de rosa, em um cenário de pura magia.
    Quadro 4 – Paisagem com Touro I – Entre casarios de um Brasil rural que Tarsila conhecia tão bem, posto que passou sua infância em fazendas no interior do estado de São Paulo, um touro branco nos observa altivamente, como que se apresentando como o guardião do terreiro e da fazenda.
  4. As Cores de Tarsila – Neste ambiente estão expostas reproduções de alguns quadros e as principais cores da paleta de Tarsila, as cores caipiras: azul puríssimo, rosa violáceo, amarelo vivo e verde cantante.
    As pessoas são convidadas a se posicionar nos balanços e percebem que no chão há uma projeção que repercute o movimento de cada pincel e vai misturando as cores, dando origem a uma infinidade de pinturas digitais aleatórias. O público pode ainda, nesta área, responder a um quiz para adivinhar qual quadro está com a paleta de cores da artista.
  5. Toca da Cuca – Inspirado no quadro A Cuca, o visitante encontra no espaço, uma projeção com bichos divertidos, os seres imaginários presentes na obra de Tarsila do Amaral, que passam correndo por uma espécie de tapete imersivo, projetado dentro da Toca da Cuca cenográfica, com acesso pelo túnel da lagarta.
  6. Sol Poente – Com cenografia baseada na obra homônima, o espaço é um cenário para fotos e brincadeiras com os animais oníricos de Tarsila. Ao fundo, semicírculos alaranjados permitem que o visitante se sinta como que apreciando o Sol por atrás da verdejante colina, repleta de mandacarus.
  7. Floresta dos ovos rosas – Com cenografia e ambientação sonora do que seria a floresta onírica do quadro Floresta, o público pode brincar com os ovos projetados no piso.
  8. Universo Tarsila – Tendo como referência diversas paisagens rurais da obra da pintora modernista, as crianças podem colorir diferentes elementos e animais imaginários que habitam o extraordinário e colorido universo de Tarsila, os quais ganham vida em uma parede interativa.
  9. O Ovo – Baseada na obra Urutu, a instalação permite que adultos e crianças possam descobrir, observando através de pequenos buracos, qual criatura habita o ovo misterioso.
  10. O Touro – A criançada ainda se surpreenderá com o mugir do touro preto (O Touro), que protege com seu rugido quem pensar em fazer mal à natureza. O público pode tirar fotos no Instapoint do touro.
  11. A Lua – Um aconchegante balanço em formato de Lua remete ao quadro que foi adquirido pelo MoMA (Museu de Arte Moderna de Nova Iorque) em fevereiro de 2019. Na obra de Tarsila do Amaral, um observador solitário aprecia a Lua formosa, pintada com a cor do Sol, que ilumina campos, colinas e um riacho em curva tão fechada e circular, que se opõe à própria Lua, sem saber se está minguando ou crescendo.
  12. Papo com o Abaporu – Em frente a uma reprodução do quadro Abaporu, a mais importante obra de arte do país, símbolo do Modernismo Brasileiro e do Movimento Antropofágico, existe um totem touchscreen no qual o próprio Abaporu convida o visitante a testar seu conhecimento sobre a obra e vida da artista.

Serviço:

Exposição Tarsila para Crianças no Parque D. Pedro Shopping

Local: Entrada das Árvores (Próximo à Praça BeGreen)
Endereço: Av. Guilherme Campos, 500 – Jardim Santa Genebra
Quando: De 10 de setembro a 24 de outubro
Ingressos: R$ 45,00 e R$ 22,50 (meia-entrada)
Venda: https://bileto.sympla.com.br/event/68607/d/105835
*Ingresso vendido no local apenas com cartão
Horário de funcionamento: segunda-feira a sábado, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 11h às 19h.

Mais informações: Parque D Pedro
*Crianças abaixo de 12 anos entram somente com acompanhante
**Crianças de até 1 ano e 11 meses não pagam

Continue lendo

Campinas

Parque D. Pedro Pedro Shopping ganha primeira fazenda urbana de Campinas

Redação Gazeta Regional

Publicados

em

BeGreen inicia operação nesta quinta-feira, 02, com hortaliças 100% livres de agrotóxicos e economia de 90% de água na produção

O Parque D. Pedro Shopping, administrado pela Aliansce Sonae, apresenta, a partir desta quinta-feira, 02, a BeGreen (www.begreen.farm), a primeira fazenda urbana de Campinas. A novidade ocupa um espaço de 1.300 metros quadrados na Entrada das Árvores para o cultivo mensal de 2,2 toneladas por mês, ou mais de 30 mil pés de hortaliças livres de agrotóxicos, como alfaces, mostarda e agrião, que chegarão fresquinhas à mesa de centenas de pessoas. A primeira colheita oficial ocorre nesta semana. Além da fazenda, que tem visitação guiada, o local tem uma loja e uma praça, que funciona como espaço para convivência, atividades e eventos.

“Entregamos para Campinas e região uma novidade que traz alimentação saudável, promove hábitos sustentáveis, aproxima as pessoas do meio ambiente e incentiva um estilo de vida mais leve para a sociedade, conceitos que o Parque D. Pedro Shopping tem na sua missão”, explica o superintendente Marcelo Zaffalon.

As fazendas urbanas são aquelas em que os alimentos são cultivados na cidade, próximos de onde as pessoas irão consumi-los, reduzindo o tempo de transporte, a emissão de carbono pelos veículos e o desperdício gerado na distribuição. Essa é a quinta fazenda da BeGreen no Brasil. As outras quatro estão no Boulevard Shopping (Belo Horizonte); na Mercedes-Benz (São Bernardo do Campo); no Via Parque Shopping (Rio de Janeiro); e na sede do iFood (Osasco).

Tendo como pilares sustentabilidade, inovação e diversão, a BeGreen leva uma experiência sustentável para shopping centers, com atividades interativas que aproximam o público da origem dos alimentos que consome. “É o despertar da consciência sustentável em crianças e famílias para um mundo melhor, um pontinho verde no meio da cidade”, afirma o CEO da BeGreen, Giuliano Bittencourt.

O espaço conta com estufa inovadora, com tecnologia desenvolvida pela BeGreen. As hortaliças são cultivadas por meio da hidroponia: as raízes se desenvolvem na água, em soluções que recebem os nutrientes naturais necessários para que cresçam saudáveis. De forma automatizada, é possível controlar o volume da água e a nutrição nos canais das bancadas. Esta técnica gera uma economia de até 90% de água em relação ao cultivo tradicional. Um sistema de climatização de alta tecnologia permite o controle remoto da temperatura da estufa e uma produtividade 28 vezes maior.

A visitação da Praça BeGreen no Parque D. Pedro Shopping acontece de quarta-feira a domingo, das 11h às 19h30, e os ingressos custam R$ 25,00 e R$ 12,50 (meia-entrada). Já o box com hortaliças custa a partir de R$ 42,90.

Clube de assinaturas BeGreen
Os moradores de Campinas poderão comprar suas hortaliças no Parque D. Pedro Shopping ou recebê-las na porta de suas casas por meio de um clube de assinaturas, que pode ser assinado no site www.begreen.farm. Com o objetivo de impactar de forma positiva a alimentação e o estilo de vida das pessoas, a BeGreen entregará os alimentos frescos e livres de agrotóxicos semanalmente ao assinante, em uma caixa com quatro pés de alfaces e outras quatro folhosas variadas, como folhas de beterraba, mostarda e agrião, e um tempero, como manjericão, salsinha e cebolinha.

O propósito da BeGreen é transformar a cadeia de produção de alimentos, reduzindo o impacto negativo que o cultivo tradicional causa para o meio ambiente. “Ao aproximar a produção do consumidor final, nós conseguimos reduzir o desperdício de alimentos a 1% e reduzir o gasto de água em 90%. Assim, levamos verduras mais frescas, saudáveis e saborosas para os nossos clientes, causando o menor impacto ambiental possível ao planeta”, diz Bittencourt.

Continue lendo
Propaganda

Categorias

Propaganda

Últimas Notícias