Conecte-se conosco

Brasil

5 perguntas e respostas para entender por que pessoas vacinadas também pegam Covid-19

Publicados

em

Fatores como idade, sedentarismo e comorbidades afetam a defesa do organismo, assim como isolamento social, uso de máscara e higiene

As vacinas são responsáveis por evitar de 4 a 5 milhões de mortes por ano, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Elas são uma das invenções mais importantes da saúde pública nos últimos séculos e nossa única proteção contra certas doenças. É assim com a Covid-19: até agora, a ciência ainda não descobriu um tratamento específico e eficaz contra a infecção pelo vírus SARS-CoV-2. Por enquanto, nosso melhor recurso para combater a doença é a vacina.

Mas os imunizantes contra a Covid-19 – assim como qualquer vacina, contra qualquer doença – não são 100% eficazes. O sistema imunológico de algumas pessoas responde à imunização melhor do que o de outras. Fatores como idade, sedentarismo e comorbidades afetam a defesa do organismo, assim como isolamento social, uso de máscara e higiene das mãos, que reduzem a chance de uma pessoa ser infectada.

Confira a seguir cinco questões para entender melhor a relação entre a eficácia das vacinas e os casos de Covid-19 entre pessoas imunizadas.

Faz duas semanas que tomei a segunda dose da vacina e segui o intervalo recomendado entre as duas doses. Posso pegar Covid-19?
Sim. Uma pessoa com o esquema vacinal completo, ou seja, que tomou as duas doses conforme a recomendação do fabricante (com intervalo de 21 a 28 dias no caso da CoronaVac, vacina do Butantan e da biofarmacêutica chinesa Sinovac) ainda pode pegar Covid-19 e transmiti-la a outras pessoas. A vacina protege da doença, não da infecção: na maioria dos casos, uma pessoa vacinada não vai ficar doente ou então vai desenvolver uma infecção assintomática ou leve.

Por que tem gente morrendo de Covid-19 mesmo estando vacinado?
A vacinação é um ato coletivo, de saúde pública: quanto maior o número de pessoas imunizadas, menos o vírus circula e menos gente morre por causa da doença. Até chegarmos nesse patamar, a Covid-19 continuará fazendo vítimas fatais – porém em pequeno número entre os vacinados. De acordo com um levantamento feito pela plataforma de monitoramento Info Tracker, desenvolvida por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), apenas 3,68% do total de mortes por Covid-19 entre fevereiro e julho deste ano aconteceram com pessoas imunizadas.

Qualquer pessoa vacinada pode desenvolver um caso grave de Covid-19?
Sim, mas há fatores que aumentam o risco. A ciência sabe há muitos anos, por exemplo, que qualquer vacina gera uma resposta imune menor em pessoas mais idosas. Isso não quer dizer que os mais velhos não estejam protegidos contra a doença, mas sim, que o organismo responde menos a um antígeno novo – uma característica que não se relaciona à vacina, em si, mas aos processos naturais do sistema imunológico. Além disso, pesquisadores da USP descobriram que manter um estilo de vida fisicamente ativo contribui para turbinar a resposta imune induzida pelas vacinas.

Se uma pessoa imunizada pegar Covid-19, significa que a vacina é ineficaz?
Não. Todas as vacinas aprovadas para uso no Brasil são eficazes e funcionam. O estudo de eficiência Projeto S, por meio do qual o Butantan vacinou com CoronaVac a população adulta da cidade de Serrana, no interior paulista, constatou que a imunização causou uma redução de 80% no número de casos sintomáticos de Covid-19, de 86% nas internações e de 95% nos óbitos. A pesquisa clínica também mostrou que a vacinação da população leva à imunização inclusive de quem não tomou a vacina, pois a pandemia foi controlada com 75% da população imunizada. Esse estudo é importante porque mostra a efetividade da vacina, ou seja, sua eficácia aplicada no mundo real. Vale notar que a vacina não zerou as mortes por Covid-19, mas reduziu drasticamente a ameaça representada pelo vírus.

O que mais posso fazer para me proteger da Covid-19 se já estou vacinado?
Enquanto o SARS-CoV-2 estiver presente nas nossas cidades, com novas variantes surgindo cada vez mais agressivas e transmissíveis, ele continuará sendo uma ameaça e causando óbitos. Esse é um indicador de que ainda estamos longe de vencer a pandemia, não porque as vacinas não funcionem, mas porque a circulação do vírus ainda é muito alta. Por isso, além de tomar as duas doses das vacinas respeitando o intervalo preconizado (em relação às vacinas com duas doses), é preciso continuar mantendo todas as recomendações sanitárias: manter o isolamento social, usar máscara e higienizar sempre as mãos com água e sabão ou álcool gel.

Brasil

6ª Edição da Feira Virtual de Estágios e Empregos oferece mais de 150 mil oportunidades em 72 horas de programação 

Publicados

em

Com a participação de grandes empresas, evento organizado pela Wyden terá lives sobre carreiras e últimas tendências do mercado de trabalho
 

Entre os dias 24 a 26 de maio, milhares de pessoas poderão participar gratuitamente de mais uma edição da Feira Virtual de Estágios e Empregos realizada pela Wyden. Durante 72 horas de evento serão ofertadas mais de 150 mil vagas em grandes empresas de todo o Brasil, em oportunidades presenciais, hibridas ou remotas e ainda oportunidades com e sem exigência de diploma. Além de alunos e ex-alunos, poderão se inscrever estudantes de outras instituições, profissionais que buscam recolocação ou quem deseja estar antenado às tendências do mercado de trabalho. Para acessar o conteúdo, os interessados devem fazer o pré-cadastro por meio deste link.
 

A programação ainda conta com temas relevantes em todas as áreas do conhecimento como: o impacto das tecnologias nas carreiras, autodesenvolvimento, diversidade e inclusão, e empreendedorismo, dentre outros. Ainda será possível ficar por dentro das tendências em processo seletivo on-line e conhecer as carreiras que estão em evidência em 2022.  Participarão dos painéis empresas como Microsoft, TIM, Delloite, Sony, DASA, Ambev, Rock in Rio.

“Nessa edição do evento queremos encorajar os nossos alunos. Mostrar que mesmo com todas as adversidades existe sim vagas e oportunidades. No evento será possível conversar com o RH de mais de 50 empresas e também assistir às 12 lives que darão ferramenta para que o aluno possa se preparar para os processos seletivos, além de ter informações sobre o mercado. Destaque aqui para as áreas de TI e saúde e estão com muitas vagas abertas”, destaca Fernanda Vio, gerente nacional de Carreiras e Parcerias da Wyden.

Durante 72 horas os participantes poderão se candidatar às vagas em uma plataforma de oportunidades profissionais que já conta com mais de 50 empresas confirmadas como Infojobs, Pepsico, IBM, Gerdau, Americanas, Banco Santander, Mcdonald’s, UnitedHealth Group, Unimed, Amazon, Sony Music, Ambev, entre outras.

 

Imagem : Fernanda Vio, gerente nacional de Carreiras e Parcerias da Wyden. Divulgação.

A Feira é a oportunidade ideal para aumentar as chances individuais no mercado de trabalho. “A iniciativa fará com que cada participante aumente seu network com as grandes organizações — companhias nacionais e multinacionais — e que possa conferir as tendências e inovações em suas áreas de atuação”, completa Fernanda.

Com 12 estandes, painéis e mais de 50 empresas participantes, a programação da 6ª edição da Feira Virtual de Estágios e Empregos da Wyden promete superar as expectativas em relação ao ano anterior, auxiliando milhares de pessoas a potencializar a carreira e obter uma vaga.

Continue lendo

Brasil

Informalmente, MDB, PSDB e Cidadania definem Tebet como a pré-candidata da terceira via

Publicados

em

Lideranças partidárias de MDB, PSDB e Cidadania sacramentaram na reunião desta quarta-feira, 18,) o nome da senadora Simone Tebet (MDB-MS) como a pré-candidata do grupo à Presidência da República. A decisão foi tomada após a apresentação de uma pesquisa encomendada pelos partidos que apontou “maior potencialidade” da pré-candidatura da senadora.

Mas o nome dela só será oficialmente anunciado após aprovação das comissões executivas dos partidos, em reuniões separadas marcadas para a próxima terça-feira, 24, e após a resolução das divergências internas do PSDB.

Entre os dirigentes partidários, houve consenso de que Simone Tebet é mais competitiva porque, segundo apontou a pesquisa, tem menor rejeição; baixa taxa de conhecimento — o que significa maior potencial para conquistar eleitores; e forte identificação com o eleitorado feminino.

Além disso, avaliam como um “trunfo” o fato de Tebet ser a única pré-candidata mulher entre os grandes partidos — a outra é Vera Lúcia, mas do pequeno PSTU.

A pressa agora será para fechar rapidamente a aliança a fim de que Tebet possa ser apresentada publicamente como a alternativa a Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL), que lideram, respectivamente, as pesquisas de intenção de voto.

Antes disso, porém, será necessário resolver o impasse no PSDB. João Doria, escolhido nas prévias de novembro do ano passado, rejeita desistir da pré-candidatura.

Para o ex-governador, a pesquisa avaliada nesta quinta pelos dirigentes dos três partidos é somente um “pretexto” para afastá-lo da disputa. Ele também reclamou por não ter sido convidado para a reunião da cúpula e das bancadas do PSDB nesta terça em Brasília.

“Não fui convidado para a reunião da Executiva do PSDB. Fizeram isso sem o resultado da pesquisa. Como fazer uma reunião antes de ter a pesquisa?”, questionou.

Em caso de confirmação do nome de Tebet como a pré-candidata da terceira via, o nome preferido para ocupar a posição de vice é o do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Fonte: https://g1.globo.com/politica/blog/gerson-camarotti/post/2022/05/18/informalmente-mdb-psdb-e-cidadania-definem-tebet-como-a-pre-candidata-da-terceira-via.ghtml

Continue lendo

Brasil

Inscrições para o Enem 2022 terminam no sábado

Publicados

em

Provas serão aplicadas nos dias 13 e 20 de novembro

Os interessados em participar do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) têm até o próximo sábado, 21, para fazer a inscrição, habilitando-se para as provas que serão aplicadas nos dias 13 e 20 de novembro.

As inscrições para o Enem 2022, tanto para a edição impressa como para a digital, devem ser feitas na Página do Participante. Para acessá-la, clique aqui. A taxa é de R$85, e poderá ser paga via PIX, cartão de crédito ou por boleto bancário até o dia 27 deste mês.

No momento da inscrição, o candidato escolhe se quer fazer a prova de língua estrangeira em inglês ou espanhol. Ele escolhe também se quer o exame impresso ou digital e informa se precisa de algum atendimento especial (acessibilidade, por exemplo).

O estudante também preenche um questionário socioeconômico informando se já concluiu o ensino médio e outras informações cadastrais.

Provas
As provas serão nos dias 13 e 20 de novembro. Pela primeira vez, o candidato poderá apresentar a versão digital de documento de identificação no dia da prova. Serão aceitos e-título, Carteira de Habilitação Digital ou RG Digital. O candidato deverá abrir o aplicativo e apresentar o documento ao fiscal. Capturas de tela não serão aceitas.

O exame terá quatro provas objetivas e uma redação em língua portuguesa. Cada prova objetiva terá 45 questões de múltipla escolha.

No primeiro dia do exame, serão aplicadas as provas de linguagens, códigos e redação (língua portuguesa, literatura, língua estrangeira, artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação) e de ciências humanas e suas tecnologias (história, geografia, filosofia e sociologia).

O tempo para realização da prova é de cinco horas e 30 minutos, contadas a partir da autorização do chefe de sala para o início das provas.

No segundo dia do exame, serão aplicadas as provas de ciências da natureza (química, física e biologia) e matemática e suas tecnologias. No segundo dia, o tempo para realizar o exame é de cinco horas, contadas a partir da autorização do chefe de sala para o início das provas.

Os gabaritos das provas objetivas serão divulgados no Portal do Inep até o terceiro dia útil após a última prova.

Fonte: Publicado em 16/05/2022 – 11:25 Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Continue lendo
Propaganda
Propaganda
Propaganda

Últimas Notícias