O Teatro Municipal de Jaguariúna receberá uma sequência de quatro Mostras de Artes Plásticas. A primeira, denominada de Universo Mágico, apresenta obras de Leila Bertelli e acontece no período de 3 a 16 de outubro, com entrada gratuita. A mostra é organizada pela Secretaria de Turismo e Cultura, em parceria com o Instituto de Recuperação do Patrimônio Histórico no Estado de São Paulo. De acordo com o crítico de arte e presidente do Instituto, Emanuel von Lauenstein Massarani, o que agrada antes de tudo, na obra de Leila Bertelli, é o desejo da artista de se desvincular de cânones e tradições. “Sua pintura nasce como uma liberação e um meio para transferir através das cores, experiências de vida e de cultura. No seu traço não há assimilação de escolas, mas parece a construção de um mundo em que pode dar livre desafogo à sua capacidade interpretativa. Sua pintura é decifrável mesmo quando veste tons surreais. Nela o sentimento tem um grau sobre a razão, embora esta a oriente para a poesia onde suas obras levitam. A imaginação de Leila Bertelli é de participação e encontra uma equivalência temporal, onde o operar é condicionado por uma dicotomia psicológica e fantástica”, analisou Massarani.

Obras podem ser conferidas dos dias 03 a 16 de outubro

Leila Bertelli frequentou por quatro anos a Faculdade de Jornalismo.

Desinteressada pela atuação na profissão, dedicou-se posteriormente às áreas de design de interiores, produção de eventos, estudos esotéricos e gastronomia, buscando sempre a expressão de sua personalidade e habilidades por meio de atividades expressivas, criativas e manuais.

Sempre foi fascinada pelas coisas do universo e, após um sonho no qual vivenciou uma viagem à Via Láctea, sentiu a necessidade de expor este momento único em suas primeiras telas, aos 37 anos. A partir de então, dedicou-se à sua carreira artística por meio da experimentação intuitiva e independente de diferentes técnicas e materiais, sempre retratando em seus trabalhos a magia do universo, as galáxias e os mares que envolvem a sua alma.