Tomaz de Aquino Pires*

dois meses que a Casa da Memória trabalha a reconstituição fotográfica da paisagem cultural arquitetônica do Velho Jaguary. Ela pretende apresentar, historicamente, a Arquitetura desde a sua formação.    Como eram as fachadas das construções? Como era a Arquitetura das sedes das fazendas de café, das pontes e das Estações Ferroviárias?  E as fachadas dos primeiros casarões? Como eram as frentes das casas e seus quintais?  Estas edificações foram caracterizando todo o Distrito de Paz de Jaguary. Wilhelm (Guilherme) Giesbrecht, engenheiro ferroviário alemão, elaborou 11 projetos de casa que foram construídas pelo fundador da Vila Bueno, Cel. Amâncio, em 1894. Estes casarões apresentam, segundo estudiosos, influência do neoclássico com contribuição dos pedreiros frentistas italianos. Estes trabalhavam artísticas fachadas. Imigrantes que abandonaram as fazendas juntaram economia no comércio da Vila e construíram suas casas. Em 1902, imigrantes sírio-libaneses, chegaram mascateando, e com seu comércio também construíram, juntamente com espanhóis e portugueses que aqui já habitavam. Contratavam experientes empreiteiros, verdadeiros mestres de obra, que edificavam sólidas construções com alicerces em pedra. Depois contratavam-se os referidos pedreiros frentistas.  Foi-se, deste modo, elaborando a paisagem cultural arquitetônica do Velho Jaguary cuja exposição pretende reconstituir fotograficamente. A Casa da Memória depende sempre da Colaboração da Comunidade que possa procurar em seu acervo residencial tais fotografias e doar ou emprestar para cópia, a fim de que as mesmas, apresentando as características temáticas exigidas, até meados do século XX, possam figurar na exposição/2018.  Ela será inaugurada no mês de aniversário de Jaguariúna. Esta Instituição levantou o acervo contido em sua reserva técnica e já dispõe de trezentas fotografias para serem apresentadas em 38 painéis na Pracinha Padre Gomes, diante da Casa da Memória. Procuram-se “retratos” (fotos antigas) das casas onde moraram nossos bisavós, avós e pais. Incluímos fotos de notáveis casas com autênticos estilos de época, que, infelizmente foram demolidas. Varreu-se muita história de nossas ruas! Os trabalhos técnicos exigidos por uma exposição com as fotografias selecionadas demandam tempo. Aguardamos a sua imprescindível e breve colaboração dos documentos fotográficos. Contatos: casadamemoria@jaguariuna.sp.gov.br;  telefone: 3947-4062. Secretaria Municipal de Educação – Casa da Memória Padre Gomes.

Tomaz de Aquino Pires * é coordenador da Casa da Memória Padre Gomes