Guarda de Campinas interrompe festa de réveillon com mais de 1 mil pessoas e ação resulta em tiroteio

Segundo a prefeitura, na tentativa de interromper a festa clandestina, GM teria sido alvo de criminosos. Além desta, Guarda atendeu a outros 72 chamados relacionados a festividades da virada de ano

Uma festa de réveillon com mais de 1 mil pessoas, ocorrida entre a noite desta quinta-feira, 31, e a madrugada desta sexta, 1º de janeiro, terminou com tiroteio em Campinas. De acordo com a Guarda Municipal, que foi acionada para interromper o evento, as equipes de segurança foram recebidas a tiros.

A aglomeração foi na Praça Grande, no bairro Vila Brandina. Além da multidão, centenas de carros e motos trafegavam em direção perigosa. Houve uma ação de intervenção da Guarda antes dos disparos. Não houve registro de pessoas feridas, segundo a prefeitura.

Eventos com muitas pessoas estão proibidos na cidade e na região de Campinas por causa da restrição imposta pelo governo estadual para conter o avanço do novo coronavírus. Entre esta sexta e o domingo, 03, ficam em vigor as regras da fase vermelha do Plano São Paulo, a mais severa.

73 atendimentos na virada do ano
Durante o último dia do ano até a manhã desta sexta, a Guarda Municipal realizou 73 atendimentos, sendo 32 por perturbação de sossego, 23 por descumprimento de regras sanitárias e 18 pela Lei do Pancadão.

Também houve uma tentativa de furto no pátio de veículos da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec). Os suspeitos foram frustrados e detidos pela Guarda, que os encaminhou para o 1º Distrito Policial. Eles foram indiciados e liberados em seguida.

A Guarda recebeu chamado para dispersar uma outra aglomeração, com 30 pessoas, na Rua São Cirilo, na Vila Padre Anchieta, por volta das 19h20 desta quinta. No entanto, não havia mais ninguém no local.

Por G1 Campinas e Região

× Fale com a Gazeta