Empresário do Estado perde R$70 mil com golpe no PIX

Vigaristas fizeram contato por telefone e conseguiram os dados bancários da vítima; Polícia faz alerta sobre os riscos e cuidados

A tecnologia avança a cada dia e ferramentas com a finalidade de facilitar a rotina dos consumidores são criadas. Porém, junto com as inovações vêm os perigos de cair na mão de criminosos e ter prejuízo, perdendo altas quantias em dinheiro.

O serviço de pagamento instantâneos PIX, desenvolvido pelo Banco Central está na mira de golpistas e que já fazem vítimas em todo o País. Usuários estão perdendo até R$70 mil com golpes, como é o caso de um empresário, de 27 anos, morador da Grande Vitória. Diante do cenário, a polícia faz um alerta e pede cautela.

Especialista em Crimes Cibernéticos, Eduardo Pinheiro, explica que os principais golpes relacionados ao PIX são feitos por meio de armadilhas virtuais. “Elas são encaminhadas por e-mail, em propagandas de mensagens instantâneas e também pelas redes sociais. Induzem a vítima a acreditar que é uma mensagem de seu banco e fazem ela clicar em um link”, exemplifica.

Assim que clicam no link, as vítimas são direcionadas para páginas clonadas do banco ou para formulários, que têm como objetivo a captura de dados pessoais.

O empresário que foi vítima afirma que recebeu um telefonema de bandidos que se passaram por representantes do PIX e ofereceram que ele cadastrasse a chave de um determinado banco. Acreditando nos criminosos, a vitima foi direcionada para um site que era idêntico ao da instituição bancária. Lá, concluiu o processo fornecendo os dados necessários para a efetivação do golpe.

“O site era parecido com o do banco, fui ingênuo. Primeiro transferiram da minha conta R$4,900 e depois mais R$65 mil, por meio de uma guia de boleto. Eu não tinha limite no PIX”, conta o empresário, que preferiu não ser identificado.

Ele afirma que tenta, junto a um processo administrativo com o banco, o ressarcimento do valor. “Se o banco não aceitar, vou entrar com processo via judicial. Acredito que tenho chances”, diz.

O titular da Delegacia de Crimes Cibernéticos (DRCC), Brenno Andrade, alerta que os golpes com o PIX devem aumentar. “Todo tipo de tecnologia, os criminosos querem se aproveitar e, muitas vezes, as pessoas caem por falta de atenção. A gente recomenda o cuidado ao clicar em links que podem levar a ambientes onde é preciso inserir dados”, destaca.

× Fale com a Gazeta