Carreta Ressomóvel faz exames de ressonância no Parque Santa Maria

Dentro do plano de enfrentamento dos impactos do Covid-19, Jaguariúna recebe nesta segunda-feira, 09, a Carreta Ressomóvel, um veículo equipado para realizar exames de ressonância magnética. O objetivo é realizar os exames que ficaram suspensos por conta da pandemia do coronavírus.

Segundo a Secretaria de Saúde de Jaguariúna, todas as medidas de segurança serão adotadas na realização dos exames, seguindo as regras sanitárias para evitar aglomerações e a disseminação do Covid. O Ressomóvel fica na cidade até sábado, 14, estacionado no Parque Santa Maria.

A Carreta Ressomóvel realiza exames de ressonância magnética em pacientes com problemas no joelho, ombro, crânio (cabeça) e tornozelo. A seleção dos pacientes foi realizada pela equipe técnica da central de regulação do município. Não haverá, portanto, atendimento por procura espontânea.

Segundo a tabela de procedimentos do Sistema Único de Saúde (SUS), exames de ressonância magnética são procedimentos de alta complexidade, cujo agendamento cabe ao governo estadual, por meio de seus Departamentos Regionais de Saúde (DRSs). “Devido à grande demanda e a pouca oferta pelo Estado, fazemos a compra desses exames de ressonância magnética para que os usuários de Jaguariúna possam realizá-los antes do tempo normal de espera”, explica a secretária de Saúde de Jaguariúna, Maria do Carmo de Oliveira Pelisão.

“Mas, além da compra desses exames da carreta, já estamos em fase de processo licitatório para aquisição de um equipamento fixo de ressonância magnética para o Município de Jaguariúna, que será instalado no Hospital Municipal Walter Ferrari, e assim nossos pacientes poderão fazer o exame aqui em Jaguariúna sem ter que depender da distribuição de cota via regulação do Estado”, completa a secretária.

O exame de ressonância magnética é usado na análise de doenças cardíacas, abdominais, cervicais, neurológicas e ortopédicas. É um exame indolor de diagnóstico por imagem que possui uma grande precisão, e produz imagens em 2D e 3D dos órgãos, com uma definição maior que a tomografia.

Foto – Ivair Oliveira

× Fale com a Gazeta