Moradores de Artur Nogueira relatam descumprimento de regras de rodízio para manter abastecimento

Revezamento deveria intercalar o fornecimento de água entre dois grupos de bairros do município a cada 24 horas, mas, segundo a população, divisão não é respeitada.

Moradores de Artur Nogueira reclamam de falta d’água mesmo com o rodízio iniciado no município para garantir o abastecimento. Após relatarem falhas no primeiro dia da implantação do sistema, a população continua observando problemas. Para implantar o revezamento, a cidade foi dividida em dois grupos que se intercalam no fornecimento a cada 24 horas.

No entanto, segundo os moradores, a divisão não é respeitada. O bairro da moradora Cíntia de Oliveira, o Jardim Dona Leda, está no “Grupo 1” do rodizio e deveria ser abastecido no sábado, 31, e depois na segunda-feira, 02, mas ela afirmou que está ficou 15 dias sem água na caixa.

“Durante esses 15 dias, a gente está pegando marmita, tomando banho na casa de amigos, porquê o pouco que chega não é o suficiente. E também a água só chegou ontem, depois de 15 dias”, afirma Cíntia.

Segundo o Serviço de Água e Esgoto de Artur Nogueira (Saean), o período de alternância entre as regiões da cidade deveria ocorrer a cada 24 horas ou, no máximo, a cada 48 horas. A administração informou que vai fazer modificações no sistema de rodízio e providenciou testes para que a água chegue com maior pressão às casas.

Moradores de Artur Nogueira precisam fazer reserva de água — Foto: Reprodução/EPTV

Moradores de Artur Nogueira precisam fazer reserva de água — Foto: Reprodução/EPTV

Mais desabastecimento

Nesta quarta-feira, 04, de acordo com o esquema de abastecimento do município, o “Grupo 2” deveria ter o fornecimento de água normalizado durante o dia, mas o bairro Jardim dos Ipês, que está dentro da divisão, não recebeu o recurso em todas as casas.

“Na minha casa tem, mas tenho duas irmãs que moram no mesmo bairro e elas não receberam água. Isso no mesmo bairro, é muito estranho”, explica Joelza Amorim.

A administração municipal disse que o Jardim dos Ipês vem sido abastecido através de caminhão-pipa, mas, por conta de algumas casas ficarem em uma parte muita alta do bairro, o Saean não consegue estabelecer o fornecimento para todas as residências.

Sem a certeza de que vão ter água nos períodos programados, os moradores da cidade recorrem às bicas de água e utilizam baldes, galões e tambores para estocá-la nos dias de desabastecimento.

Uma academia no Jardim Planalto até reduziu a higienização do ambiente para economizar água durante o período.

Calamidade hídrica

O rodízio de água, que começou no sábado, 31, foi determinado em Artur Nogueira depois que a prefeitura decretou estado de calamidade hídrica por 180 dias.

Por: EPTV.

× Fale com a Gazeta