Reflexos da pandemia: Com academias fechadas, personal trainer aposta em atendimento domiciliar

Mesmo após a reabertura das academias, muitos ainda tem receio de frequentar o local e optam pelo atendimento domiciliar personalizado

A prática regular de exercícios físicos proporciona inúmeros benefícios para a saúde, como por exemplo, a diminuição dos riscos de doenças cardíacas, pressão alta, osteoporose e diabetes. Além disso, contribui para o bem estar, melhora a capacidade cardiorrespiratória e condicionamento físico, promovendo mais qualidade de vida.

O educador físico, Felipe Alessandrini, formado pelo Centro Universitário de Jaguariúna (UniFaj) atua na área há mais de seis anos. Desde a formação, a academia sempre foi sua principal área de atuação, mas com o período de fechamento das academias devido quarentena rígida da pandemia, o profissional perdeu o seu emprego, pois o local onde trabalhava não suportou a crise e teve que fechar as portas.

“Diante disso, me vi desempregado em meio a um momento delicado de incertezas e de crise econômica. Tive que me reinventar e procurar uma nova forma de atendimento”, relata. Atualmente, Felipe trabalha como personal trainer atendendo em domicílio.

Felipe conta que investiu em um atendimento personalizado a domicílio, com toda segurança necessária deste período. Comprou materiais para suas aulas e passou a fazer divulgação por meio das mídias sociais.

“Não demorou para que interessados aparecessem, pois muitas pessoas habituadas à prática dos exercícios físicos estavam sentindo falta e viram nessa nova proposta uma forma de conseguir manter os hábitos de forma segura. E, tendo em vista a facilidade de ter um atendimento em casa, a procura tem aumentado”, conta o profissional.

Agora, mesmo após reabertura das academias, a procura pelo serviço de personal à domicílio continua em alta, segundo Felipe. “Muitos ainda não se sentem seguros em retornar”, afirma. “Além disso, houve também o aumento de alunos que procuram personal trainer para atendimento na academia”, acrescenta.

Trabalhar neste cenário chamado ‘novo normal’ tem sido um desafio para Felipe. “Foi preciso abrir a mente para novas possibilidades de trabalho e sair da zona de conforto. Além disso, existe toda a preocupação com as normas sanitárias que precisam ser seguidas de forma muito responsável, como uso de máscara, higienização atenta dos equipamentos e atendimento limitado a pequenos grupos”.

Felipe salienta que o diferencial do acompanhamento de um personal trainer é que, além trazer mais segurança durante o exercício, o programa de treinamento é feito de forma personalizada, levando em consideração a individualidade do aluno, seus objetivos, rotina, histórico médico. Sendo assim, os resultados aparecem de forma mais eficiente.

× Chat - Fale com a Gazeta