Prefeitura de Jaguariúna inaugura nova ala de internação no Hospital Municipal Walter Ferrari

A Prefeitura de Jaguariúna, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, inaugurou nesta quinta-feira, 08, a nova ala de leitos do Hospital Municipal Walter Ferrari. A obra de reestruturação do Hospital contou com a criação de 22 novos leitos clínicos na unidade, aumentando em quase 30% a capacidade de leitos do hospital – que anteriormente era de 78, no total, e hoje passa a 100 leitos. As mudanças fazem parte das medidas de enfrentamento à pandemia do novo coronavírus na cidade.

A reestruturação no hospital foi possível devido à transferência do Centro de Especialidades Médicas e da sede administrativa da ASAMAS (organização social que administra o hospital) para outros prédios. Os novos leitos dão mais segurança na separação física dos pacientes diagnosticados ou suspeitos de Covid-19 dos demais pacientes com outras necessidades clínicas. Atualmente, segundo a Secretaria de Saúde, esses pacientes ficam isolados, porém na mesma ala.

“Fomos pegos de surpresa por uma pandemia que exigia isolamento físico de pessoas, então muitas vezes o espaço físico foi um obstáculo no manejo dos pacientes. Ter uma divisão de alas em que conseguimos ter alas específicas para cada patologia é muito bom. Esses novos leitos aumentam a nossa capacidade de abrigar os pacientes com segurança, sejam eles pacientes de Covid-19 ou não” explicou o coordenador da clínica médica do Hospital Municipal Walter Ferrari, Igor Kassouf Mantovani.

Além da reforma e criação de nova ala, o projeto de reestruturação do hospital também inclui a aquisição de novos equipamentos, um novo projeto de combate a incêndio e a contratação de profissionais da saúde de acordo com a demanda, melhorando a capacidade de atendimentos e possibilitando a implantação de novos serviços.

“Depois de 26 anos, estamos fazendo uma ampliação de um número considerável de leitos. Uma área que era administrativa se tornou área de internação. A nossa população cresceu nesses 26 anos, então o hospital também teve a necessidade de crescer. Independente da pandemia do Covid-19, temos outras patologias que devem ser cuidadas, principalmente com a futura volta da realização das cirurgias eletivas”, disse a secretária municipal de Saúde, Maria do Carmo de Oliveira Pelisão.

A secretária também destaca que, mesmo sendo uma das medidas de enfrentamento da Covid-19 no município, a nova estrutura do Hospital Municipal permanece como legado para a população, pois não será desativada após a pandemia.

Fotos – Ivair Oliveira.

× Fale com a Gazeta