Eleições 2020: Entrevista com candidato de Jaguariúna, Alberto Rizzoni (PSD)

As eleições municipais de 2020 contam com quatro candidatos a prefeito em Jaguariúna, sendo o atual, Gustavo Reis (MDB), Alberto Rizzoni (PSD), Alfredo Chiavegato Neto (PSDB) e Davi Neto (PTB). Os candidatos conversaram com a Gazeta Regional sobre prioridade de governo, projetos em qualidade de vida e como melhorar a cidade nos próximos quatro anos, caso eleitos. Confira:

Nome: Alberto Vitorio Rizzoni
Idade: 58 anos
Partido: PSD
Sem Coligação
Formação: Biólogo, Pedagogo, Pós-Graduado em Gestão Pública com ênfase educacional.
Experiência Profissional: Escrevente de Cartório, Bancário, Professor, Vice-diretor e Diretor.

Gazeta Regional: Quais as áreas que o candidato deve dar prioridade no seu plano de governo?
Alberto Rizzoni:
Nosso plano e governo é fazer a cidade funcionar com eficiência, oferecendo qualidade nos serviços públicos, facilitando a vida das pessoas.
No momento em que o País e o município passam, uma das grandes preocupações será a geração de emprego e renda, portanto temos que governar investindo muito na qualificação das pessoas. Investir os recursos públicos de maneira correta, responsável e planejada nos três grandes pilares de sustentação da sociedade: Saúde, Segurança e Educação. Chega de gastos desnecessários.

Gazeta Regional: Qualidade de vida e bem-estar social são considerados fundamentais por gestores de países com progresso avançado. Quais são seus projetos para Jaguariúna em qualidade de vida?
Alberto Rizzoni:
Manter e melhorar, adaptar os projetos já existentes nas diversas áreas será nosso compromisso. O bom governante é aquele que governa para o povo, deve ser humilde dando continuidade nas ações, projetos e demais obras que estão funcionando a serviço da população.
Oportunizar qualidade de vida é investir no bem estar das pessoas. Para tanto, temos que oferecer serviços públicos de qualidade, temos que investir nas pessoas, no crescimento da cidade de forma planejada e sustentável. Isso passa por projetos e ações nas áreas de saúde, educação, infraestrutura, lazer, cultura, etc.
Vamos fomentar políticas públicas para jovens, idosos, crianças e adolescentes, não esquecendo dos deficientes físicos e intelectuais, pois é assim que faremos.

Gazeta Regional: Jaguariúna tem altos índices em Educação, Saúde e Segurança. Como pode melhorar ainda mais?
Alberto Rizzoni:
Primeiramente temos que entender qual a base de cálculo desses índices. Considerando que temos aproximadamente 480 milhões de orçamento, entendo que esses índices poderiam ser muito melhores.
Na Educação, vamos estruturar e equipar nossas unidades escolares para a era digital, não esquecendo que o professor sempre foi e sempre será o alicerce de uma educação de qualidade. Melhorar índices sem pensar em valorizar os profissionais da Educação é começar a casa pelo telhado, portanto, vamos investir muito na sua valorização. Não mediremos esforços para que tenham remuneração adequada, melhores condições de trabalho, formação contínua e voz ativa na elaboração de políticas públicas para a educação, bem como a participação com sugestões sobre a aplicação dos recursos do FUNDEB.
Na Saúde, muita coisa pode ser feita. Alguns exames feitos fora da cidade podem ser feitos aqui, como a colonoscopia, por exemplo, que aparenta ser mais barato encaminhar para fora, mas o desgaste de deslocamento e o tempo por si só já demonstram o contrário.
Ter um olhar mais humanizado, visando diminuir os impactos emocionais e psicológicos. Dentre outros, vamos organizar grupos de atenção e cuidados para pacientes com câncer de mama (carcinoma de mama) e outros.
Pensado sempre em um melhor atendimento para a população, iremos priorizar os pacientes que tem exames em investigação alterados, antecipando as consultas. A Saúde não pode esperar. Essas são algumas das melhorias dentre muitas que vamos implantar na área.
Segurança, a primeira providência que enxergamos é pleitear junto ao Governo do Estado a designação de um Delegado Titular para nossa cidade. A melhora seria significativa e a população imediatamente já notaria respostas mais rápidas na solução dos crimes, além do fator preventivo o que repercute em um serviço com mais qualidade.
A preocupação com a Segurança de nossas crianças, jovens e adultos, vamos intensificar a ronda escolar, estendendo também às escolas Estaduais. Estreitaremos as relações com as polícias: Federal, Militar, Civil e Municipal.
Com o crescimento da cidade hoje temos dois fortes centros comerciais: o da região central; e o da Avenida Antonio Pinto Catão (Jardim Planalto). Assim, realizaremos um estudo para aumentar o efetivo da Polícia Municipal com a finalidade de podermos melhorar o policiamento não só nas duas áreas citadas, mas também abranger e promover, com maior efetividade, mais segurança aos bairros, principalmente os mais distantes do centro.
Vamos investir também na substituição dos armamentos e equipamentos aumentando a eficácia e eficiência na segurança dos munícipes e dos profissionais. Investiremos fortemente em projetos de prevenção e teremos um Secretário de Segurança Pública à altura de Jaguariúna, comprometido com a segurança da população, conhecedor de suas necessidades e comprometido no desenvolvimento da qualidade de vida das pessoas.

Gazeta Regional: A cidade, o Estado e a Nação vivem um momento diferente. Enfrentamos uma pandemia. Você consegue imaginar qual vai ser a missão de um prefeito no pós-pandemia?
Alberto Rizzoni:
As políticas públicas são o resultado das riquezas geradas em sua Nação, consequentemente nas cidades. Quanto mais a sociedade participa das decisões e acessa o uso desses recursos nos aproximamos de uma situação de justiça e igualdade que beneficia a todos.
A contingência sempre traz uma lição e a pandemia demonstra que o administrador público precisa ter capacidade e ser eficaz.
A pandemia otimizou alguns processos, uma equipe unida e capacitada será essencial para manter um contato frequente com a população facilitando o processo de criar as medidas necessárias, monitorando os orçamentos e a transparência. Aqui, por exemplo, algumas leis antigas hoje perderam o sentido e só atrapalham e atrasam a vida do empreendedor.
Precisamos de um olhar transformador e inovador, implantaremos plataformas digitais de comunicação, de prestação de serviços e vamos acelerar a retomada econômica com uma gestão inteligente.

× Fale com a Gazeta