Estado mantém região na fase laranja do plano de retomada, mas recomenda ‘fechamento’ para Campinas

Cidades da região seguem na segunda fase da reabertura pelo menos até 28 de junho; Prefeitura de Campinas está em reunião para decidir medidas na cidade

A região de Campinas foi mantida, em decisão desta sexta-feira, 19, na fase 2 – laranja do plano estadual de retomada gradual dos serviços até o dia 28 de junho. A metrópole, no entanto, segue em alerta e o governo do estado informou que vai emitir uma nota técnica recomendando o “fechamento” para Campinas, devido à situação da ocupação dos leitos e avanço de casos do novo coronavírus.

É a segunda vez que o governo estadual decidiu que as cidades da região não vão regredir e nem avançar. Apesar disso, os prefeitos têm autonomia para fechar o comércio e voltar à fase vermelha, de restrição severa. A Saúde de SP adiantou que vai contribuir com 100 novos leitos na região.

Coordenador do Centro de Contingência do estado, Carlos Carvalho afirma que o órgão prepara a nota técnica para Campinas e Sorocaba. “Pela média da região de saúde, está ainda no laranja, mas os dois municípios, Campinas e Sorocaba, estão numa situação que está apontando a possibilidade de um grande número de casos específico para aquele município. Esses municípios estão entrando numa zona mais perigosa”, diz o coordenador.

“O centro de contingência está fazendo uma nota técnica sugerindo que esses prefeitos possam tomar a atitude de promover um fechamento do município, assim como fez a cidade de Valinhos”, completa.

Retorno à fase vermelha
De acordo com a Secretaria Regional de Desenvolvimento Regional de SP, a nota técnica trata do retorno das cidades em alerta para a fase vermelha, sem qualquer tipo de flexibilização ou exceção.

A Prefeitura de Campinas está em reunião desde a manhã desta sexta-feira e há uma grande chance, segundo a apuração da EPTV, afiliada da TV Globo, de que o Executivo decida retroceder à fase vermelha e fechar novamente o comércio de rua e shoppings. O prefeito Jonas Donizette (PSB) anunciou uma coletiva de imprensa por rede social para 15h desta sexta-feira.

Nos dados acompanhados pelo estado, a região de Campinas aparece com 72% de taxa de ocupação dos leitos UTI Covid na atualização desta semana. O índice está acima do registrado na média estadual , que é de 67%.

“Campinas atinge 72% de ocupação de leitos de UTI, mas alguns municípios têm números maiores que a média, como é o caso de Jaguariúna, que hoje faz o fechamento, Valinhos, e outros municípios”, afirma o secretário Regional de Desenvolvimento, Marco Vinholi.

Valinhos e Jaguariúna fechadas
Em Valinhos, a prefeitura decidiu na terça-feira, 16, voltar por conta própria à fase vermelha, devido ao aumento no número de casos e de internações. Somente serviços essenciais, supermercados e farmácias, por exemplo, podem funcionar no município.

Além de citar o caso de Valinhos e adiantar o retorno à restrição em Jaguariúna, fechando o comércio novamente, Vinholi afirma que o governo de SP vai ampliar os leitos em Campinas.

Critérios avaliados para retroceder no Plano São Paulo
Segundo Carlos Carvalho, as regiões e as cidades são avaliadas diariamente, e alguns dados são mais críticos que outros. Cada um tem um peso na composição dos dados que resultarão na classificação por cores.

“Quando começa a ter um número de ocupação de leitos muito acima de esperado, chegando numa zona de risco, o sistema não suportar essa sobrecarga de pacientes, o Comitê de Saúde resolveu que vai sempre fazer esse anúncio para que o prefeito possa tomar alguma atitude se necessário, assim como o estado pode promover a transferência de pacientes. Nenhum paciente vai ficar sem assistência, porque o sistema tem capacidade”.
“A nota técnica será emitida e enviada aos prefeitos, e esperamos que eles tomem a as providências mais adequadas”.

× Fale com a Gazeta