“Serenidade, bom senso e equilíbrio” pede o prefeito Gustavo Reis na retomada das atividades

Se os números de contaminação aumentarem, o município regride para a fase 1

Nas suas redes sociais, o Prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, falou na sexta-feira, 29, sobre os principais pontos que devem ser seguidos pelos estabelecimentos a partir desta segunda-feira, dia 1 º, com a reabertura gradual do comércio. O decreto municipal autoriza a reabertura de imobiliárias, concessionárias, escritórios e comércios.

Dentre os critérios de funcionamento, está o teto de ocupação, que indica o número máximo de pessoas no local, incluindo trabalhadores, clientes e usuários. Lembrando-se da necessidade sempre respeitar o distanciamento mínimo entre cada um de dois metros de distância.

“O distanciamento é muito importante então é preciso manter. É preciso evitar a circulação e proximidade de uma pessoa com a outra. O poder de contaminação do vírus é altamente contagioso, por isso temos que ter uma retomada com muita responsabilidade, bom senso e cuidado”, alerta o prefeito Gustavo.

O modo de operação também é um ponto do definido no decreto do município, que fala da necessidade de os atendimentos presenciais manterem, de maneira responsável, as devidas precauções. O horário de funcionamento neste primeiro momento é de seis horas, com objetivo de evitar aglomeração de pessoas nas entradas e saídas dos estabelecimentos, ruas e transporte urbanos.

O uso de mascara é obrigatório para clientes e funcionários. “A obrigação do dono do estabelecimento é fornecer a máscara para seu funcionário. Está proibida a entrada de qualquer pessoa no seu estabelecimento que não esteja usando máscara”, frisa Gustavo.

Outro ponto é a higienização, que deve acontecer a cada duas horas com álcool em gel 70% ou soluções sanitárias. Além dos EPI’s obrigatórios e adequados para cada atividade.

“Para retomar na segunda-feira, dia 1º, o estado convencionou para que cada lojista apresente um plano de contingenciamento. Este seria o plano de operação: como vou operar, o que vou ter na loja, quais os espaços, o que vou diminuir, onde vai ter álcool em gel. Para facilitar, eu vou solicitar que ao invés de fazer individual, que se faça em conjunto por meio da Associação Comercial e Industrial (ACI) de Jaguariúna, o que vai facilitar muito”, explica o prefeito. Desse modo, o município se difere do estado.

× Chat - Fale com a Gazeta