“Pertinho de Casa” aproxima pequenos produtores de consumidores e ajuda a movimentar o comércio em Jaguariúna

Plataforma digital está disponível no município e segue recebendo cadastro de micro e pequenas empresas locaisF

Uma plataforma digital que faz a conexão entre cliente, comércio de bairro e produtor rural, assim é o “Pertinho de Casa”, criado para facilitar o dia a dia do consumidor, apoiar os pequenos negócios locais e dar vazão ao que é produzido no campo, movimentando a economia no difícil momento atual. O projeto é uma iniciativa da Faesp/Senar-SP, em parceria com o Sebrae-SP e apoio de Accenture, Facebook, PagSeguro, Vtex e Yami.

O funcionamento é simples. Aos produtores rurais e pequenos varejistas, feirantes ou donos de hortifruti, mercearia ou mercadinho, basta o preenchimento de um cadastro no site do “Pertinho de Casa”, informando seu tipo de negócio e área de entrega. O consumidor interessado em comprar na vizinhança precisa apenas colocar seu endereço ou CEP no site, selecionar a categoria de estabelecimento que procura e escolher do qual deseja comprar, em uma lista de pequenos comerciantes cadastrados. A negociação é direta entre as partes, via WhatsApp.

Trata-se de uma ferramenta fácil de usar e sem custo para os envolvidos. O cliente paga apenas os produtos selecionados e o modo de frete combinado.

A plataforma digital, que pode ser acessada em https://www.pertinhodecasa.com.br, permite aos consumidores encontrarem, por exemplo, alimentos fresquinhos do campo e produtos de primeira necessidade, dentre outros itens. Unir produtores rurais, comerciantes dos bairros e os consumidores tornou-se fundamental para manter a atividade de negócios, principalmente os de pequeno porte, que viram sua receita cair drasticamente em consequência do isolamento social.

O projeto, que inicialmente buscou facilitar a comunicação por meio do uso do WhatsApp, possui um roadmap para que evolua brevemente para um marketplace com mais funcionalidades.

Dados do Sebrae-SP mostram que 98% das empresas de São Paulo consistem em pequenos negócios, que empregam cinco milhões de trabalhadores formais, ou 49% de toda a força de trabalho com carteira assinada do Estado e respondem por 27% do PIB paulista. As informações englobam empreendimentos urbanos e rurais.

× Fale com a Gazeta