Reflexos da pandemia: Marmita delivery – modalidade ajuda a manter restaurante jaguariunense

Neste 02 de junho o Restaurante Tempero da Roça, em Jaguariúna, completa 11 anos. A empresa é familiar e tradicional da comida caseira, da roça.

A proprietária Aparecida Sudré comenta que, pela boa localização, no centro da cidade, o restaurante recebe muitos turistas. Mas, com a quarentena, seu serviço foi prejudicado pela queda de clientes e com isso colaboradores precisaram ser dispensados.

Ela comenta que a iniciativa de pessoas desempregadas em fazer marmita nesse período aumentou, o que prejudica seu negócio. “Eu pago imposto, local, faço tudo dentro da lei e a marmita tem que sair um certo valor. Aí vem outro, faz em casa, não paga nada, é ilegal e faz uma marmita bem mais barata que a minha. Isso prejudica demais”.

Neste período o faturamento do Tempero da Roça diminuiu 80%. “A gente faz hoje para comer amanhã, mas tenho fé em Deus que isso vai mudar”, crê.

Cida conta que para tentar driblar a situação, novos investimentos e ações foram necessários. Uma das mudanças da empresa foi fazer almoço aos domingos, dia em que normalmente a casa era fechada. “De portas fechadas não conseguimos vender muito e, a maior dificuldade da gente é mantê-las abertas”, diz Cida.

Vinda de família humilde, Cida relata que já passou por necessidades mas agradece a Deus por ter crescido nos momentos de dificuldade. Hoje ela é formada em hotelaria, gastronomia e está no último ano da faculdade de Nutrição.

Quando o retorno do setor for possível, Cida acredita que o restaurante é favorecido por ter um ambiente amplo, ao ar livre, com a possibilidade real de distanciamento social. “Eu e minha família agradecemos aos clientes fieis e que na retomada todos possam estar juntos”, finaliza.

× Fale com a Gazeta