Reflexos da pandemia: Restaurante tradicional de Jaguariúna sofre queda de 90% no faturamento mensal

O Botequim da Estação está no mercado desde 1991 e a partir de 1995 ficou conhecido pela Picanha na Pedra e também por várias outras especialidades

O Botequim da Estação, restaurante que serve cozinha trivial e petiscos na antiga estação de trem de Jaguariúna, precisou passar por mudanças em tempo de pandemia com a imposição da quarentena. O seu faturamento mensal, por exemplo, reduziu em 90%.

A empresa precisou fazer corte de custos e colaboradores, enxugando o quadro e o estoque na medida do possível sem afetar a qualidade dos produtos. Foi preciso também fazer a manutenção e investir no tempo e em novas estratégias para surpreender o consumidor, além de promoções para atingir novos públicos e ser solidário ao momento.

De acordo com o proprietário Tiago Messias, o mais difícil tem sido honrar com os compromissos financeiros, principalmente os custos fixos onde não conseguem negociação para pagamento, nem que seja parcelado. “Estamos vivendo um dia de cada vez”, diz.

Para driblar as adversidades, o Botequim tem inovado para tentar manter o público no delivery. O restaurante já trabalhava com a modalidade que é autorizada aos serviços não essenciais durante a quarentena. “Porém, nos dias de hoje nos adequamos ás normas da Organização Mundial da Saúde investindo em álcool gel, luvas e máscaras, além de intensificar os processos de higienização”, conta.

× Fale com a Gazeta