JBS doa R$700 milhões para o enfrentamento do Covid-19

Ações beneficiam 162 municípios brasileiros, quase 60 milhões de habitantes e 17 Unidades da Federação; Recursos serão dedicados à saúde, assistência à população mais vulnerável e pesquisas

A JBS, uma das líderes globais da indústria de alimentos, deve doar R$700 milhões para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. Desse total, R$400 milhões – mais de 50% dos recursos – serão destinados a ações no Brasil. As doações no Brasil envolvem três frentes de atuação: saúde pública, ação social e apoio à ciência. As iniciativas tem abrangência nacional, impactando diretamente 162 municípios de  17 Unidades da Federação (UF’s). Somadas, as populações das cidades atendidas chegam a quase 60 milhões de pessoas. Também serão destinados recursos a organizações sociais sem fins lucrativos e entidades de pesquisa.

“Essa doação está inteiramente dedicada ao enfrentamento do Covid-19. Estamos em meio a uma crise sem precedentes no mundo e enfrentá-la requer o envolvimento de todos. Estamos fazendo todos os esforços e nos dedicando em várias frentes para atender às questões mais críticas nessa pandemia, por meio de investimentos em saúde, ajuda aos mais vulneráveis e apoio à ciência e tecnologia”, afirma o CEO da JBS, Gilberto Tomazoni. “Estou muito confiante de que esse projeto fará muita diferença na vida de milhões de pessoas nesse momento tão desafiador para nossa sociedade”, declara o executivo.

Ao todo, vivem nas UF’s beneficiadas pela doação da JBS 170 milhões de brasileiros. “Temos uma história de compromisso com o Brasil há mais de 65 anos. Seguimos inteiramente dedicados ao País e aos brasileiros no enfrentamento dessa pandemia e trataremos o assunto com a urgência e a velocidade que o momento pede. Para isso, foi estruturada uma ação de grande capilaridade e relevância, apoiada pelos mais renomados especialistas no país em suas diferentes áreas de atuação e que nos ajudarão em cada etapa dessa ação”, destaca o presidente da JBS na América do Sul e presidente da Seara, Wesley Batista Filho.

Segundo a empresa, os R$400 milhões doados pela JBS para o enfrentamento da Covid-19 no Brasil serão distribuídos da seguinte forma:

R$330 milhões serão destinados à construção de hospitais, ampliação de leitos, compra de testes, medicamentos, equipamentos médicos e insumos de higiene, além de doação de alimentos que vão impactar 17 Unidades da Federação e 162 municípios;

R$50 milhões estarão à disposição de entidades de pesquisa e tecnologia no País com foco em estudos na área de saúde;

R$20 milhões para 50 organizações sociais sem fins lucrativos que atendem comunidades vulneráveis no País.

Todas as iniciativas devem ser coordenadas por Joanita Maestri Karoleski, ex-CEO da Seara, e auditadas pela Grant Thornton, consultoria global com mais de 100 anos no mercado – a empresa de auditoria abriu mão de seus honorários para contribuir com o programa social.

“A doação será usada exclusivamente para o enfrentamento do Covid-19 e para contribuir com a saúde dos brasileiros hoje e também no futuro, já que usaremos a maior parte desses recursos para questões estruturantes como a construção e reforma de hospitais e compra de equipamentos médicos”, esclarece Joanita Karoleski. “O Brasil tem situações e necessidades muito específicas em suas diferentes regiões e faremos a destinação dos recursos de acordo com as demandas dos estados e municípios sempre com foco em saúde, assistência social e ciência”, reforça a coordenadora.

Para validação dos projetos e recursos a serem entregues nas diversas esferas do projeto, foram criados comitês especiais que contam com a participação de membros independente. Foram definidos os comitês Consultivo, que terá foco na compra e distribuição das doações, o Comitê Social, que selecionará projetos sociais de 50 organizações sociais sem fins lucrativos e o Comitê de Ciência e Tecnologia, que vai definir e fiscalizar as doações para institutos de ciência e pesquisa.

A JBS representa a principal atividade econômica em 56% dos municípios em que tem fábrica. Suas operações formam uma rede de 127 mil colaboradores diretos, 35 mil fornecedores de gado, 10 mil produtores no segmento de aves e suínos e 400 mil parceiros comerciais. “Essa ação que anunciamos hoje vem se somar ao nosso compromisso diário em levar uma vida melhor e o alimento a milhões de famílias no mundo”, ressalta Wesley Filho.

A JBS informa que, desde o início da pandemia dedicou todos os esforços para garantir a segurança e a proteção dos seus mais de 130 mil colaboradores com uma série de medidas de segurança e que garantem a produção de alimentos nas suas mais de 100 fábricas. Tanto que criou uma página especial sobre as medidas de proteção, que é a jbs.com.br/fazerobemfazbem.

× Fale com a Gazeta