Anulada a liberação do funcionamento de salões de beleza e similares em Serra Negra

Após 1º caso, Serra Negra recua e mantém salões de beleza e barbearias fechados

Paula Partyka – [email protected]

O Comitê Municipal de Prevenção e Enfrentamento ao coronavírus Covid-19 de Serra Negra emitiu na semana passada uma deliberação permitindo o funcionamento de salões de beleza, cabeleireiros, barbearias e similares, observando as regras sanitárias previstas nos decretos estaduais e municipais vigentes, a partir do dia 27.  Considerando a recomendação do Ministério Público e também a confirmação do primeiro caso de coronavírus na cidade, o municipío revogou a deliberação.

De acordo com o vice-prefeito, Dr. Rodrigo Pellegrini Magaldi, o fechamento do comércio foi feito em vanguarda, pois entende-se o sofrimento econômico da cidade. “Até porque, a Prefeitura é a maior empresa da cidade. Temos 1.150 funcionários e seis mil pessoas diretamente ligadas à prefeitura. Precisamos das arrecadações do ICMS, ISS, dos impostos”, diz.

Dr. Rodrigo ainda explica que o comércio é a força motriz da cidade e que gostaria que todas as empresas estivessem abertas. “Precisamos desse tipo de comércio, o turismo é muito importante na nossa cidade. Porém, temos optado por vidas. Temos seguido as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde e também da Secretaria de Saúde Estadual. Então esse fechamento se faz necessário”.

De acordo com ele, dentre as ações de combate ao coronavírus, também foram tiradas pessoas vulneráveis das ruas, houve o aumento do atendimento médico, criação de um hospital de campanha e em relação ao comércio, um auxílio em relação aos impostos. “Volto a reforçar que Serra Negra está tomando medidas de vanguarda. A cidade tem vertente turística, recebemos muita gente, então não podemos no sujeitar ou arriscar a receber turistas contaminados”.

“Infelizmente, temporariamente, a gente sabe do sofrimento e entende a onda econômica, a recessão e o risco que estão sofrendo os comerciantes. Porém, temos optado pela vida, tem optado por tentar fazer o que é possível economicamente, mas sempre prezando pela vida”, finaliza.

× Fale com a Gazeta