Polícia Civil prende jardineiro suspeito de matar e roubar idosa no Chapadão, em Campinas

Marca de uma bota e imagens de câmeras de segurança ajudaram na identificação do homem de 34 anos; ele levou R$ 22, um relógio e uma medalha da vítima

A Polícia Civil de Campinas prendeu nesta terça-feira, 24, o suspeito de roubar e matar uma idosa de 75 anos no Jardim Chapadão, no início do mês. O homem de 34 anos é jardineiro e havia prestado serviço para a vítima. De acordo com a corporação, ele confessou o crime e disse que levou uma carteira com R$22, um relógio e uma medalha da residência.

Segundo o delegado Rui Pegolo, do Setor de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP), a marca de uma bota e imagens de câmeras de segurança ajudaram a Polícia Civil a identificar o suspeito – alguns moradores também reconheceram o jardineiro, uma vez que ela havia prestado serviço em outras casas da região. Ele teve o pedido de prisão temporária decretado pela Justiça.

Apesar do corpo da idosa ter sido encontrada na manhã do dia 12 de março, a investigação apontou que o crime teria ocorrido no dia anterior. O suspeito informou que matou a vítima por volta das 7h30 do dia 11.

À polícia, o jardineiro disse que havia feito um serviço para a idosa uma semana antes e recebido R$150 por isso. Como ela deixou acertado um retorno, ele contou que planejou um furto.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, o suspeito disse que realizava o serviço quando aproveitou para pular uma janela para furtar. Nesse momento, no entanto, a vítima flagrou a ação e começou a gritar “ladrão”.

Segundo a corporação, o jardineiro, então, jogou um vaso contra a idosa, que não caiu. Como ela continuava a gritar, ele pegou uma faca que utilizava no serviço e a golpeou na região do pescoço.

Dos produtos levados da casa, o relógio ele teria vendido por R$35 e ficado com os R$20 em notas e R$2 em moedas encontrados na carteira, que foi descartada próximo do local do crime.

O jardineiro foi preso por latrocínio. Ele já tinha passagens por tráfico de drogas.

Fonte: Por Graziela Fávaro, EPTV e G1 Campinas e região.

× Fale com a Gazeta