Eleições 2020: Entrevista com pré-candidato a prefeito de Jaguariúna, Fernandinho Português

O Jornal Gazeta Regional dá continuidade a série de entrevistas com os nomes colocados a pré-candidatos de Jaguariúna, nas eleições de outubro

Paula Partyka – [email protected]

Jaguariúna tem seis nomes colocados como pré-candidatos a prefeito nas eleições municipais deste ano, sendo eles Gustavo Reis (MDB), que concorre à reeleição, Alberto Rizzoni (PSD), Davi Neto (PTB), Du Corrêa (PTC), Gabriel Tenan (PP) e Fernando Husch Pereira (PSDB). Para melhor informar o seu leitor, a Gazeta Regional lança uma série de entrevistas com todos os nomes.

A série teve início com o pré-candidato do Partido Trabalhista Cristão (PTC), Du Corrêa, na edição 1709. Nesta edição, 1710, a entrevista é com o candidato do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), Fernandinho Português. Confira.

Gazeta Regional: O seu nome é um dos que estão colocados hoje para uma possível candidatura a prefeito de Jaguariúna, nas eleições de outubro. Como o senhor avalia essa possibilidade?

Fernandinho Português: É uma possibilidade muito concreta de eu ser pré-candidato e futuramente candidato.

Sou empresário, corretor de imóveis e já fui vereador dois mandatos. Nas duas eleições que fui candidato ganhei, em 2000 e 2004 fui para reeleição e fui o candidato que mais cresceu de votos de uma eleição para a outra. Em 2005 e 2006 fui presidente da Câmara de Vereadores e depois não fui mais candidato. Em 2013 tive o convite do Sr. Tarcísio para ser o secretário de Turismo e Cultura, até 2016. Então eu tenho uma experiência.

Gazeta Regional: O senhor se considera preparado para assumir uma possível candidatura?

Fernandinho Português: Eu me considero totalmente preparado para assumir essa candidatura. Sou nascido e criado em Jaguariúna, conheço a cidade, a prefeitura, conheço tudo.

Gazeta Regional: Como está sua articulação política dentro do partido e que chances o senhor vê de conseguir disputar a eleição?

Fernandinho Português: Olha, meu partido é o PSDB, partido já fala ‘partido’. Tem suas disputas internas políticas, isso é natural e a gente tem uma disputa dentro do PSDB. Eu acredito sim que seja candidato a prefeito pelo PSDB, mas eu tenho convite do vice-governador do estado, Rodrigo Garcia, para ser candidato pelo DEM, convite da Deputada Valéria, para ser candidato pelo PSL. Mas eu estou na minha disputa dentro do PSDB.

Gazeta Regional: Existem disputas internas que podem inviabilizar sua candidatura?

Fernandinho Português: Não. Temos uma disputa interna, mas o PSDB quer ter candidato a prefeito em todos os municípios é uma determinação do governador João Dória. Outro grupo que disputa comigo dentro do partido não quer que tenha candidato a prefeito. É uma disputa natural, acontece mesmo em todos os partidos.

Gazeta Regional: Na sua avaliação, quais os atributos que um bom prefeito deve ter?

Fernandinho Português: Primeira coisa é honestidade: estamos cansados de ver cansados de ver casos de corrupção todo dia quando liga a televisão. Segundo é a humildade: você tem que ouvir todos. Você tem que entender muito de administração, ter capacidade de administrar o município.

Tem que ter conhecido do município, conhecimento político em São Paulo e Brasília para ir atrás de verbas e eu acho que hoje, eu tenho todos esses atributos para ser um bom prefeito de Jaguariúna.

Gazeta Regional: Quais áreas da Administração o senhor vê como prioridade na gestão pública? Por quê?

Fernandinho Português: Saúde, segurança e educação. Saúde porque a saúde não pode ser amanhã. A praça você pode fazer amanhã, mas o remédio a pessoa tem que ter na hora.

A segurança também. A última turma formada de guarda municipal em Jaguariúna foi em 2006, eu era presidente da Câmara. Daqui dois, três anos começam os guardas se aposentarem, a cidade cresceu e você tem o mesmo número de guardas municipais.

Tem muitos problemas de saúde, segurança e educação para serem resolvidos.

Gazeta Regional: Jaguariúna tem se destacado nos cenários regional, estadual e nacional em várias áreas, como saúde, educação e segurança. O senhor avalia que é possível melhorar ainda mais esses índices? De que forma?

Fernandinho Português: Jaguariúna sempre teve altos índices, não é de hoje. É preciso e possível melhor. A administração do Hospital Municipal Walter Ferrari mesmo tem que melhorar muito.

O Hospital virou uma cabide de emprego. Tem que melhorar isso. Fizeram uma cooperativa lá que o povo não está gostando. Tem que melhorar.

Gazeta Regional: Quais as suas principais sugestões para a cidade, como pré-candidato a prefeito?

Fernandinho Português: Investir em saúde, investir em segurança e educação. Atrair novas empresas, aumentar a arrecadação e aumentar o numero de empregos.

Ser uma administração bem enxuta. Administração municipal precisa ser enxuta.

Hoje com o mundo totalmente digital, é preciso implantar isso mais na prefeitura. Fazer uma coisa mais rápida e menos custosa para o município. Você pode muito bem mandar um projeto para o planejamento digital, não precisa de papel.

O acompanhamento disso é diário. A revolução digital, a tecnologia, vira. Todos os dias as empresas todo dia melhoram os sistemas e a prefeitura precisa disso também.

Precisa ser mais digital, está muito atrasado. Isso é melhor para o munícipe e para o custeio do município.

Gazeta Regional: Fale um pouco sobre a sua família e vida pessoal.

Fernandinho Português: Sou empresário, corretor de imóveis e estou me formando agora em um curso chamado Gestão Imobiliária. Torço pelo Corinthians, caminho bastante porque eu gosto, me sinto bem e faz bem para a saúde. Eu sou cristão, acredito muito em Deus, sempre Ele na frente para dar tudo certo.

Meu pai era uma pessoa muito enérgica, um administrador nato que sempre ensinou honestidade e humildade, os pilares para a família. E a minha mãe é cadeirante. Todo dia vou na casa dela e a gente sabe a dificuldade que é ter uma pessoa com necessidades especiais. Pegar uma pessoa dessa, levar na praça, colocar no carro, levar na praça, dá trabalho. Ainda bem que o mundo hoje é bem mais acessível.

× Fale com a Gazeta