Campeonato Municipal de Futsal Feminino é realidade em Jaguariúna; Conheça as equipes

Essa é a primeira vez na história que Jaguariúna tem uma competição oficial de futsal feminino no calendário esportivo

Paula Partyka – [email protected]

O primeiro Campeonato Municipal de Futsal Feminino de Jaguariúna começou. Organizado pela Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (SeJEL), a competição conta com oito times e cerca de 120 atletas. Por isso, a Gazeta Regional dá continuidade a uma série de matérias sobre os times participantes.

Na edição anterior, 1709, contamos a história do time Audaz. Nessa edição, 1710, saiba mais sobre o time da UniFaj.

Em competições, esse é o segundo ano do time feminino do Centro Universitário de Jaguariúna (UniFaj). Ele tem parceria o Grupo de Estudos em Futebol e Futsal (GEFF) que faz toda a administração e planejamento do calendário do time e, além disso, o curso de Fisioterapia da instituição é parceira com trabalho de prevenção com as atletas.

Tem como técnico o José Donizete Cripa, auxiliar técnico professor Adnan Leme, preparador físico Guilherme Moraes. O time já participou de competições universitárias e hoje encara o primeiro Campeonato de Futsal de Jaguariúna.

A equipe é composta por universitárias e toda a estrutura é oferecida pela UniFaj. Os treinos são planejados em conjunto com todas as áreas envolvidas, tanto a preparação física, como questões técnicas e estratégicas.

“A Faculdade nos apoia totalmente. Fornece material, espaço e tantas outras coisas. Essa interdisciplinaridade de cursos cuidando de uma parte e outra também é muito importante”, considera o preparador Guilherme.

O representante da Fisioterapia, Renan Vieira, explica que a parceria com a Educação Física foi planejada para fazer um trabalho preventivo, trabalhar com o pré e pós-treino. “Na competição também fazemos esse trabalho que é essencial para as atletas”, reforça.

Representando o time, Ana Karolina Assis considera que o trabalho feito com o time é muito importante. “Em questões de cuidado e saber como estamos nos sentindo. Temos a confiança de ter o pessoal da fisioterapia, que nos treinos físicos eles perguntam como estamos nos sentindo. Acho que essa parte para o atleta é importante. Vamos crescendo aos poucos, não adianta querer crescer do nada”.

Para ela, a iniciativa do Campeonato surgiu tarde. “Mas antes tarde do que nunca. Eu acho bacana a iniciativa. No primeiro jogo o ginásio estava lotado, foi bem legal ver a população indo ver a gente, pois é bem diferente, o futsal feminino não é tão visado”, considera.

“Se tratando do esporte feminino, historicamente e culturalmente é muito preconceito, eu acho que isso é uma vitória. A Prefeitura de Jaguariúna está de parabéns e isso vem para agregar ainda mais ao esporte e mostrar que elas tem esse poder. Elas vão ser inspiração para tantas outras mulheres em outras edições. É hora das mulheres mostrarem para as outras que elas podem tanto quanto os homens”, acrescenta Guilherme.

Ana fala que o time espera ser campeão, pois acredita que todos tem o mesmo objetivo de estar em primeiro lugar. “Acredito que por estarmos jogando há mais de um ano juntas o nosso entrosamento é melhor. Essa é a parte mais importante”.

O futsal é um esporte que exige do conjunto, da equipe. Guilherme acredita que todas as equipes estão bem formadas, bem estruturadas estrategicamente e todas tem condições de se sobressair.

Renan finaliza considerando que é perceptível a união das equipes, o que é muito interessante, pois todas se igualam. “O diferencial vai ser na quadra, no jogo, no resultado. Um Campeonato que demorou um pouco para acontecer mas está acontecendo e vem para perdurar por muito tempo”, crê.

× Chat - Fale com a Gazeta