Dois acidentes são registrados no mesmo trecho em Jaguariúna em três dias

Uma carreta carregando um contêiner tombou no começo da tarde de quarta-feira, 29, na Rodovia João Beira (SP-095), que liga Amparo a Jaguariúna. De acordo com as informações, o motorista ficou ferido com um corte no braço. 

Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), o homem que não teve a identidade revelada, foi levado para o Hospital de Jaguariúna e está bem. Ele estava voltando para a cidade de origem, Santos, quando o acidente ocorreu em um trecho de descida e o motorista teria perdido o controle na curva, onde a velocidade máxima é de 60 km/h.

No domingo, 26, um acidente já havia sido registrado volta de 14h em um local bem próximo deste acidente. Uma carreta desgovernada só parou após atingir a fachada de uma empresa.  

Segundo o motorista, o veículo ficou sem freio e acabou atravessando a pista e colidindo contra a empresa de refrigeradores no Jardim Florianópolis. A carreta permanece presa no local.

Os vídeos mostram que o condutor perde o controle sobre a direção no momento em que ele trafega na estrada que liga o município até Amparo. A carreta invade o canteiro, arranca árvores e segue até colidir contra um muro e ficar entre a entrada do imóvel e um poste. Um minuto antes da sequência de batidas, câmeras de monitoramento registraram as passagens de ciclistas e pedestres na região.

“Quando fui descer com o caminhão, não tinha mais freio. Eu preferi jogar a carreta nas árvores e no poste, não feri ninguém. A minha intenção foi essa, não ferir terceiros”, explica o motorista Joel Rota.

Polêmica
Com receio de não ser ressarcido pelos danos, o dono da empresa “travou” a carreta para evitar a retirada. “A gente está tentando um acordo financeiro com a empresa responsável e se trata de três seguros. Um seguro do caminhão, um seguro da carga e um da carreta. Então, a gente está tentando da melhor maneira possível resolver a situação, de reconstrução, antes que a gente permita que retire o caminhão do local”, diz o engenheiro eletricista Eduardo Gomes.

O advogado da transportadora, Tonny Jin Myung, contesta. “Existe aqui um procedimento junto à seguradora que precisa ser respeitado. Só que para início deste procedimento, a seguradora precisa vir aqui fazer uma perícia, ou o caminhão precisa ser objeto de perícia. Infelizmente o caminhão está impossibilitado de ser retirado. A carga não é da empresa, tem o direito de um terceiro que está sendo teoricamente violado. Nós estamos tentando junto à seguradora para que venha alguém aqui e consiga dar esse parecer para que consiga resolver da melhor forma possível”, fala o defensor.

Após os quatro dias “travada” no local, a carreta começou a ser retirada na tarde desta quarta-feira, 29. O local foi isolado e sinalizado pela prefeitura e a CPFL precisou desligar os fios e cortar a energia para a remoção do caminhão. A cabine é retirada nesta quinta-feira, 30.

O que diz o DER?
Em nota, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) informou que a rodovia está devidamente sinalizada, inclusive com placas que indicam a velocidade regulamentada na via e há uma lombada eletrônica instalada no km 68,1 a 150 metros do local do acidente.

“Devido ao acidente, as equipes técnicas do Departamento irão ao local verificar a necessidade de desenvolver estudos de viabilidade para a implantação de novos dispositivos de segurança neste trecho da rodovia”, informa texto.

× Fale com a Gazeta