Com canhão da 2ª Guerra Mundial e peças do século 19, museu militar é inaugurado em Campinas

Instalado na Fazenda Chapadão, local propõe aos visitantes uma imersão na história dos militares campineiros. Visitação é gratuita e ocorre de segunda a sexta-feira, das 10h às 16h

Um museu com acervo formado por peças militares raras, como um canhão utilizado na 2ª Guerra Mundial e peças do século 19 foi inaugurado neste sábado, 18, em Campinas. O espaço fica na Fazenda Chapadão e propõe aos visitantes uma imersão na história dos militares campineiros. A visitação ocorre de segunda a sexta, das 10h às 16h.

Dentre os itens expostos no Museu do Forte Anhanguera estão um canhão de 1942, recuperado por soldados brasileiros durante a 2ª Guerra Mundial, além de um banguê datado de 1865 – a peça era usada para transportar “pessoas importantes” da época.

Além disso, o museu reúne um uniforme de guerra original, usado na Revolução Constitucionalista de 1932, e um canhão de navio utilizado na Revolução Liberal de 1842.

“A montagem do museu foi viabilizada por muitas pessoas e associações de colecionadores. Em um dos casos, um ex-militar nos procurou informando que ficou com o acervo do Tiro de Guerra de Campinas (TG 176) quando o local foi fechado. Muitas peças que reconstituem a presença do exército no município foram resgatadas neste momento”, explica o tenente coronel Eduardo José Lopes Gonçalo.

O museu é dividido em três salas expositivas. A primeira propõe um retorno à história dos militares de Campinas e expõe dois canhões usados na Batalha da Venda Grande, na Revolução Liberal, além de um fuzil utilizado durante a Guerra do Paraguai.

Na segunda sala, uniformes, armamentos e outros itens contam a história da Brigada Anhanguera, fundada em 1943. O terceiro ambiente se ocupa do histórico da Fazenda Chapadão, que foi adquirida pelo exército em 1942 e guarda grande parte da história dos militares em Campinas.

× Fale com a Gazeta