Jaguariúna recebe maior estudioso e especialista em leitura do rosto do Brasil

É possível saber como pensa uma pessoa mesmo sem falar com ela? A resposta é sim. E quem explica como isso acontece é o renomado professor e estudioso da fisiognomonia (conhecida como leitura de rosto) Fábio Pellozzo. Ele ministra palestra em Jaguariúna, na quarta-feira, 22, das 18 às 21h, no OK Coworking.

“Lançamos um desafio ao Fábio Pellozzo: Demonstrar como é possível usar a leitura nas relações profissionais e no dia a dia de forma a sermos mais assertivos em como falar e agir com clientes, colegas, funcionários e familiares. O objetivo é entendermos um pouco desta ciência, como ela funciona e como tem sido utilizada”, comenta a proprietária do OK Coworking e organizadora do evento, Carol Pepe.

Fábio Pellozzo trabalha com Leitura de Rosto, Linguagem do Corpo, Terapias Vibracionais (Reiki, Barras de Access), Quiropraxia (manipulação de coluna), massagem relaxante e massagem metafísica. Ele é professor de Leitura de Rosto, Linguagem do Corpo e Terapias Corporais e já participou de vários programas de TV.

Pellozzo conta que em 1993 teve o primeiro contato com a Leitura de Rosto e o que o fascinou foi exatamente o fato de que o rosto está aí para todos verem, não suas expressões, mas sim o conjunto de suas formas. “Sempre fui muito cético, só acredito nas coisas quando vejo acontecendo e funcionando. Coisas de quem já foi esperançoso e acreditou… eu estudava o rosto como uma forma de autoconhecimento e de me desconectar, aliviar a mente ao estressante trabalho com informática”, diz.

O especialista conta que a cada leitura que fazia, a cada nova descoberta, quanto mais se entendia, mais se reconhecia, mais este mundo o fascinava. “Por motivos pessoais, acabei procurando formas alternativas para tratar algumas dores e problemas físicos, fiz vários cursos de massagem – relaxante, quiropraxia, shiatsu – e comecei a trabalhar com isso no meu tempo vago. Em 2005 parei definitivamente de trabalhar com informática e fui trabalhar com terapias complementares,” diz Pellozzo, que também estudou Metafísica e Psicossomática.

× Fale com a Gazeta