Polícia Civil de Jaguariúna prende, em flagrante, homem com 2 mil reais em notas falsas

A Polícia Civil de Jaguariúna estava monitorando a venda de notas falsas que eram anunciadas nas redes sociais, no Grupo Feira do Rolo de Jaguariúna e Região, com informações que pessoas da cidade estavam adquirindo tais notas falsas e repassando para o comércio. Nesta sexta-feira, 24, o Setor de Investigação da Delegacia Municipal recebeu uma informação da agência dos Correios dizendo que possivelmente um homem estaria retirando notas falsas da agência.

De imediato, os policiais civis começaram a fazer campana próximo aos Correios e visualizaram a entrada de um homem com as caracteristicas repassadas pela agência. Após o indivíduo sair dos Correios, um policial o abordou, se identificou como sendo Investigador de Polícia e, de pronto, questionou o que havia dentro do envelope. Prontamente, o indivíduo disse que haviam R$ 2.000,00 (dois) mil reais em notas falsas.

A situação foi averiguada e o indivíduo foi conduzido para a Delegacia de Polícia. Ele disse, ainda, ser a segunda vez que compra notas falsas, que viu na feira do rolo de Jaguariúna uma pessoa anunciar as notas e entrou em contato com ele através do Whatsapp. Também informou que a primeira vez foi no começo do mês de julho, que havia comprado R$ 1.000,00 mil reais e pagou R$300,00 (trezentos) reais.

De acordo com a polícia, as primeiras notas falsas foram repassadas em Campinas para vendedores ambulantes que não perceberam que as notas eram falsas.

Sobre as notas falsas que recebeu hoje nos Correios, informou que havia encomendado a quantia de dois mil reais em notas falsas, através do e que pagaria para tanto a quantia de RS600,00 em dinheiro verdadeiro. O indiciado foi convidado a abrir o envelope com as notas falsas na presença de investigadores, sendo o ato filmado.

A Delegado de Policia, tomando ciência do ocorrido, determinou a prisão em flagrante em desfavor do indiciado, como incurso no artigo 289 paragrafo 1º (crime de moeda falsa) , determinando o encaminhamento do auto prisional ao Fórum de Jaguariúna. Com efeito, apesar de delito de competência da Justiça Federal, inexiste nesta comarca, Delegacia de Policia Federal.

Foto: Roberto Torrecilhas.

× Chat - Fale com a Gazeta