Reflexos da pandemia: Empresa de equipamentos para logística tem queda de 40% nas vendas

Neste período de quarentena, a empresa intensificou ações nas redes sociais

A Isalog Carrinhos, de Campinas, está há oito anos no mercado. É fabricante de carrinhos industriais e hotelaria, distribuidor de rodas e rodízios, equipamentos de limpeza, lixeiras plásticas, lixeiras de aço inox, caixas plásticas e outros que são fornecidos para indústrias, hotéis, motéis, pousadas, condomínios, prefeituras, transportadoras em geral, supermercados, distribuidoras de gás e bebidas e etc.

O proprietário, Luis Alexandre possui 35 anos de experiência no mercado. Ele conta que com a quarentena, as vendas caíram 40% e a inadimplência que não tinha, começou a ter. “Hoje já estabilizou, pois só estamos aceitando vendas avista ou nos cartões de crédito ou débito”, explica.

“No início ficamos fechados por dois dias. Viemos na empresa para verificar pagamentos e despachar algumas encomendas, porém o telefone não parava de tocar e havia clientes batendo na porta da nossa loja”, conta. Com isso, a empresa começou a trabalhar com portas fechadas e horário reduzido, mas após um período, abriu meia porta.

O acesso de clientes começou a ser controlado e o uso de máscaras, álcool em gel e líquido tornaram-se indispensáveis, bem como outras proteções. “Estamos atendendo também via WhatsApp, e-mail e reservamos uma área em nosso estacionamento para drive-thru”, conta Luis.

A empresa vem conseguindo manter o quadro de colaboradores e o estoque está sendo mantido, pois, de acordo com Luis, os fornecedores só diminuíram a carga horária na produção, mas estão conseguindo fornecer em tempo hábil.

Os investimentos e melhorias foram congelados.

Antes da quarentena e, consequentemente, da pandemia, a empresa trabalhava com campanhas nas redes sociais e este momento serviu para ivestir nas ações e impulsionar as campanhas. Com isso, Luis relata que houve um aumento nas solicitações de orçamento e fechamento de pedidos via WhatsApp. “Como dizem que as crises são oportunidades de crescimento, estamos adquirindo novas experiências e inovando para sair desta mais fortes”, finaliza.

× Chat - Fale com a Gazeta