Doria anuncia ‘Retomada Consciente’ de atividades a partir de 1º de junho

O governador João Doria anunciou no Palácio dos Bandeirantes, nesta quarta-feira, 27, o início de uma flexibilização da quarentena em algumas regiões do estado de São Paulo a partir do dia 1º de junho. “Por 15 dias, manteremos a quarentena, porém com uma retomada consciente de algumas atividades econômicas no estado de São Paulo”.

“A nova fase do plano São Paulo não é um relaxamento aos cuidados e proteção da vida, mas, um monitoramento, um ajuste fino voltado para as realidades regionais”, afirma Doria. A fase segue a orientação da ciência, medicina e saúde e pode ser possível nas cidades que tem redução consistente no número de casos de pessoas infectadas com o coronavírus e disponibilidade de leitos nos hospitais públicos e privados.

“Tomamos a decisão de pautar todas as ações fundamentadas na Saúde e ciência e assim continuaremos. Optamos também por transparência absoluta em todas as ações”, diz Doria. “Aqui não há achismo […] e sim fatos apurados levantados e informados por meio da ciência e medicina. Portanto passamos a ter ações coletivas e compartilhadas, ouvindo, sabendo ouvir, registrando e compartilhando, não impondo ou decidindo soberanamente. Não há isso em São Paulo, nem na capital, nem no estado e posso antecipar, não haverá”.

Com os feriados adiantados na semana passada e nesta segunda-feira, 25, o isolamento no estado aumentou 2%. O governador agradece a todos que respeitaram a vida e fizeram o isolamento social.

Com o esforço coletivo, um passo a diante pode ser dado, com a nova etapa da quarentena denominada consciente. “Uma nova prática que vai permitir em alguns locais a retomada gradual e segura de atividades. Quero alertar, no entanto, que a retomada consciente parte do principio da colaboração de todos e da ajuda conjunta”, diz Doria. “Se tivermos que dar um passo atrás, […] não hesitaremos em fazê-lo”.

A quarentena em São Paulo desde o seu início até o dia 31 maio deve salvar 64 mil vidas. Esses dados não são governamentais e sim da ciência, afirma Doria.

Em atualização.

Fases e serviços:
A primeira fase, em vigor até dia 1ª, tem o caráter de alerta máximo, com o funcionamento de apenas serviços essenciais. A seguinte, batizada de “Fase 2 – laranja” inclui a reabertura de mais serviços, mas com controle mais rígido ainda nas questões de segurança sanitárias. Portanto, ficam liberadas as atividades imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércio e shopping centers.

Na terceira, devem reabrir bares, restaurantes e similares e salões de beleza. Na quarta, as academias estão liberadas. Na fase cinco, batizada de “normal controlado”, todos os setores funcionam, mas com distanciamento social e medidas de higiene.

Teatros, cinemas e eventos que incluam aglomeração de pessoas – incluindo os esportivos – só podem ser reabertos após a Fase 5, com uma análise futura do governo. A educação e o transporte não tem data definida para serem retomadas completamente e o anúncio deve ser feito mais adiante.

A mudança entre as fases, segundo Doria, tem como base uma redução consistente do número de casos, disponibilidade de leitos em hospitais públicos e privados e a adoção do distanciamento social em ambientes públicos

Regiões:
Segundo o anúncio, a cidade de São Paulo entra na fase dois do modelo, com os setores precisando apresentar o planejamento para a reabertura dos serviços. Assim como na capital, cabe sempre às prefeituras decidir o que pode ou não reabrir seguindo os protocolos do Estado.

A cada sete dias deve acontecer uma reclassificação por região e a mudança para novas fases ocorre a cada 15 dias. O plano aponta que os padrões mínimos para a retomada são ter taxa de isolamento de pelo menos 55%, uma redução nos casos por 14 dias e uma ocupação de leitos inferior a 60%.

Na Fase 1, permanecem a Grande São Paulo, a Baixada Santista e a região de Registro. Na Fase 2, estão a cidade de São Paulo, Araçatuba, Campinas, Marília, Franca, São José do Rio Preto, Sorocaba, São João da Boa Vista, Ribeirão Preto e Piracicaba. Mais avançadas, na Fase 3, estão Araraquara/São Carlos, Barretos, Bauru e Presidente Prudente.