Jaguariúna tem seis pré-candidatos a prefeito

Nas eleições municipais de 2020 são eleitos prefeitos e vereadores para todos os 5.570 municípios brasileiros

Jaguariúna tem, pelo menos, seis nomes colocados como pré-candidatos a prefeito nas eleições municipais deste ano. Veja quem são: Gustavo Reis (MDB) que concorre à reeleição, Alberto Rizzoni (PSD), Du Corrêa (PTC), Davi Neto (PTB), Gabriel Tenan (PP), Fernando Husch Pereira (PSDB).


Gustavo Reis está em seu segundo mandato de prefeito e já colocou seu nome na disputa deste ano para tentar seguir à frente do Executivo municipal para o mandato 2021-2024.

Rizzoni tem 59 anos, é professor e dirigente educacional na rede estadual de ensino.

Davi Neto é vereador em Jaguariúna e tem 28 anos de idade.

O advogado, Gabriel Tenan, tem 45 anos, foi secretário de Cultura e candidato a vereador em 2016.

O também advogado, Du Corrêa, tem 53 anos e foi candidato a prefeito de Jaguariúna em 2016.

O empresário e ex-vereador Fernando Silvério Husch Pereira, tem 49 anos, foi secretário de Turismo e Cultura e vereador na cidade. Ele enfrenta uma disputa interna no PSDB, com dois grupos pleiteando o comando do diretório. Nos bastidores, o comentário é de que, caso não consiga a legenda no ninho tucano, Fernando pode migrar para o DEM.

Para informar melhor o seu leitor, a Gazeta Regional lança em breve uma série de entrevistas com todos os pré-candidatos a prefeito, com a análise de seu perfil, histórico e propostas para a cidade.

Tendência
O maior número de candidaturas a prefeito em Jaguariúna – na eleição anterior foram registrados quatro nomes ao cargo máximo do Executivo municipal – é uma tendência que deve ser verificada na maior parte dos municípios brasileiros, segundo avaliação de cientistas políticos e até de integrantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Isso porque a Emenda Constitucional nº 97, de 04 de outubro de 2017, acaba com a possibilidade de coligações nas campanhas proporcionais a partir das eleições deste ano.
Com o fim das coligações no pleito para vereador, em 2020, os partidos são obrigados a reverem suas estratégias eleitorais com vistas a ampliarem a quantidade de votos. Como não é mais possível “pegar carona” na votação de um candidato de outro partido, uma das táticas é o lançamento de candidaturas majoritárias (prefeito), que continuam podendo formalizar coligações com outras legendas e são, naturalmente, “puxadoras de voto”.

Entenda o sistema político
O sistema político brasileiro é misto (proporcional e majoritário). O sistema majoritário é aquele em que o candidato que obtiver maior número de votos é o eleito, o que ocorre com as candidaturas a prefeito, governador, presidente e senador. Já no proporcional é analisado o número de cadeiras e a proporção dos votos (vereadores e deputados estaduais e federais). Nesse sistema, nem sempre o mais votado é o eleito – depende de determinados índices e dos cálculos dos quocientes eleitoral e partidário. O objetivo do sistema proporcional é garantir que as várias correntes ideológicas tenham voz e seja garantido o princípio democrático.

Eleitores
Para os eleitores, 06 de maio é uma data muito importante: é o último dia para que regularizem a sua situação junto à Justiça Eleitoral para poderem votar em outubro. Assim, pessoas que perderam o recadastramento biométrico e tiveram o título cancelado, não justificaram a ausência nas últimas eleições ou ainda desejem alterar o domicílio eleitoral têm até esse dia para se dirigirem ao cartório eleitoral mais próximo a fim de resolver suas pendências.