Skatista de Jaguariúna participa de Circuito Brasileiro de Skate e pode garantir uma vaga nas Olimpíadas de Tóquio 2020

O skate street, ou skate de rua, é a modalidade com o maior número de participantes no Brasil e no mundo. Nela, o skatista usa a arquitetura urbana para praticar suas manobras: escadas, corrimãos, bancos, hidrantes ou muros.

Com o intuito de rejuvenescer a audiência e o espírito dos Jogos Olímpicos, o Comitê Olímpico Internacional (COI) incluiu em seu programa novos esportes para Tóquio 2020. Um deles é o skate.

O Brasil chega como um dos favoritos para a competição e muitos se preparam e participam de um campeonato que visa somar pontos para garantir na olimpíada. Trata-se do o Campeonato Brasileiro de Skate Street, promovido pela plataforma Skate Total Urbe (STU).

Em Jaguariúna, com 16 anos, a Marina Gabriela Pinto participa deste campeonato. Ela conta que desde criança brincava com seus irmãos andando de skate e, por gostar demais, começou levar a sério a partir dos 11 anos.
“Meu irmão me levou na pista e teve um campeonato lá, aí eu participei e ganhei uma camiseta, então continuei andando”. Ela treina todos os dias na quadra de skate após a escola e, quando não tem aula, o dia inteiro.
Nos campeonatos, Marina não visa apenas ser a campeã, mas, faz por gostar e se importar em fazer as manobras certas. Além disso, ela aproveita para fazer muitas amizades.

A sua mãe, Marcia Cristiane A. Pinto, considera este um esporte radical e apoia completamente. “Quando ela começou a participar, os campeonatos eram em outros lugares (próximos) e eu levava. Mas, agora ela viaja para fora do Brasil, então não tem como eu acompanhar. E agora ela vai para a Bahia e, não tem como eu ir com ela, mas ela vai encontrar as meninas que tem amizade”.

O investimento da família é praticamente total. Marina tem apoio da marca Adidas, com roupas e calçados e um patrocinador de shape (prancha sobre a qual você fica em pé na hora de andar de skate). Mas, passagem e hospedagem das viagens são por conta deles.

Uma das viagens recentes é a mais memorável, onde ela foi para a Califórnia. Primeiro que, não era para ela ir, por conta de um campeonato no Brasil e também pela falta de dinheiro. Mas, sua mãe conta que recebeu um dinheiro inesperado e Marina conseguiu fazer a viagem internacional.
Ela ficou 10 dias na Califórnia e na hora de embarcar precisou comprar outra passagem, no entanto, ela recebeu uma ligação de um amigo e contou a situação. Ele disse para Marina ficar para apresentá-la para algumas pessoas.

Em contato com sua mãe, Marina permaneceu na Califórnia. Ao todo, ela ficou 32 dias, o que resultou muito conhecimento, vídeo para divulgação pessoal e para marcas, além de um apoio com uma marca e ainda há contatos para possíveis parcerias.

“Foi bom demais ter ficado lá de última hora. E, eu gosto demais poder conhecer lugares por meio do skate. Acho que se eu não andasse de skate eu não teria conhecido esses lugares que já fui”, relata.

Agora, Marina está focada no Campeonato Brasileiro, que nesta etapa acontece entre os dias 23 e 25 agosto, na cidade de Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador (RMS). A competição, que tem apoio do Governo da Bahia, soma pontos para o ranking nacional com vistas aos Jogos de Tóquio.

Foto: Divulgação