Fórum reúne teoria e prática dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável

Evento atraiu lideranças e representantes da sociedade civil; ações serão aprofundadas

Por Viviane Westin

O Fórum ODS 2019, realizado no último dia 23, trouxe para Jaguariúna a oportunidade de diálogo sobre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU). O evento foi promovido pela Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) Trilhos do Jequitibá e contou com a participação de representantes de municípios da região dos diferentes setores da sociedade civil – governo, empresas privadas e associações sem fins lucrativos.

Numa mescla de teoria e prática das ações que visam contribuir para atingir as metas propostas pelo ODS, o Fórum reuniu palestras e exemplos de iniciativas que estão em andamento na região; trouxe o convite para o engajamento aos projetos; disponibilizou o suporte para a adaptação ou a criação de projetos que atendam particularidades dos diferentes segmentos. (Veja mais fotos do evento)
Os ODS são validados por Estados-membros da ONU, o Brasil é um deles, orientando medidas nas três dimensões do desenvolvimento sustentável: econômica, social e ambiental. As metas globais são readequadas à realidade de cada país e serve como base para se estabelecer as diretrizes, objetivos e metas a serem seguidos pelo governo federal, estadual ou municipal.
A assessora técnica da Subsecretaria de Assuntos Metropolitanos de São Paulo, Eliana Falque, foi uma das palestrantes convidadas e explicou como este processo dos ODS vem se estabelecendo, desde o lançamento do Pacto Global, no ano 2000, suas evoluções e o que almeja alcançar.
“Estamos trazendo para os municípios a importância do engajamento nesse tema com o envolvimento de todos os segmentos da sociedade civil. Atualmente, e felizmente, estamos conseguindo fazer com que a população desperte para a importância dos 17 ODS, para se trabalhar com 360 metas a serem alcançadas. Todos os eixos são de extrema importância”, considerou.
Segundo a assessora, é preciso orientar os gestores públicos sobre a importância da ação e do engajamento nos ODS. “E isso se reforça no fato do Tribunal de Contas do Estado começar a receber seus relatórios, ofícios, documentos e processos dos municípios dentro dos ODS”, observou.
“Quando nós da região metropolitana instalamos os conselhos consultivos nas cidades e nas regiões, a maior preocupação é com o engajamento da sociedade civil. O ODS tem um lema: ninguém pode ficar para trás”, reforçou Eliana.

Mulheres
A presidente da 232º Subseção da OAB de Jaguariúna, Maria do Carmo Santiago Leite, contribuiu com palestra sobre uma das temáticas dos ODS, a de número cinco, que trata da igualdade de oportunidades para as mulheres no trabalho, em cargos de liderança e participação social.
“Independente da área de atuação da mulher, o importante é ser ouvida. Não podemos mais ficar na posição de coadjuvantes. A mulher está conquistando seu espaço, mas ainda falta muito para avançar. Ainda precisamos buscar um lugar ao sol”, observou Maria do Carmo. “O feminismo hoje simplesmente quer a igualdade de gênero, de oportunidades, de emprego, salário… Não se trata de disputar nada com os homens, mas sim de sermos reconhecidas”, complementou.
Durante a palestra ela chamou a atenção para alguns índices divulgados pelo IBGE, e que reforçam as desigualdades em aspectos ligados à educação, remuneração salarial, liderança, mercado de trabalho e assédio. Maria do Carmo também provocou o público para analisar o papel que é desempenhado pelas mulheres com as quais convivem em suas diversas áreas e estimulou uma reflexão sobre o empoderamento do público feminino.

Participantes
O empresário Mauricio Fuzita, que atua no setor de embalagens, ficou sabendo do evento através de um amigo que atua na área ambiental e se motivou a participar. “Na minha empresa aplicamos a reciclagem e o reaproveitamento de materiais. É preciso educar para buscar alternativas e o meio ambiente precisa disso. Também vim para conhecer como é que funciona esse sistema de compostagem e de reaproveitamento de materiais para adubo orgânico. Pretendo levar o conhecimento daqui para a empresa e para a minha casa. As empresas hoje têm muita dificuldade com esse sistema de reciclagem e as grandes empresas estão preocupadas com isso”.
O evento foi sediado no Salão de Convenções do Hotel Matiz e também contou com a participação de dezenas de pessoas, inclusive representantes de gestores do poder público das cidades de Vinhedo, Valinhos, Jaguariúna, Santo Antônio de Posse e Pedreira. Entre as autoridades estavam o prefeito de Pedreira, Hamilton Bernardes, e o vereador Afonso Lopes Silva, da Câmara Jaguariúna.

Próximos passos vão reforçar o engajamento aos ODS

Segundo o diretor presidente da Oscip Trilhos do Jequitibá, Hilário Argemiro, a finalidade do encontro entre empresários, governo e sociedade é incentivar a execução de uma agenda de trabalho voltada para o crescimento e desenvolvimento social e econômico. Os idealizadores destacam que “é preciso compreender que o equilíbrio da biodiversidade é o futuro das nações para que possam alcançar gestões eficientes e de grande visibilidade”.
Para a coordenadora do projeto de ODS na Trilhos, Mariana Padilla, o Fórum ODS exerce um papel motivador para os empreendedores, os gestores públicos e a sociedade. “Um dos nossos próximos passos é trazer isso para a sociedade, já que os ODS funcionam quando se une esses três pilares.”
As próximas etapas de engajamento aos ODS inclui a própria certificação da Oscip ao Pacto Global, o que deve ocorrer já no próximo mês. Além disso, será feito o convite para que as empresa façam essa adesão seguida de uma capacitação que deve ocorrer até o mês de novembro. Além disso, estão previstas palestras, fóruns e oficinas para orientar os gestores que tiverem o interesse de adesão aos ODS para que sejam implementados na empresa.
“Cada objetivo trabalha uma série de metas, mas é preciso saber quais metas o gestor tem interesse de desenvolver e como quer trabalhar. Pode-se, inclusive, implementar dentro da empresa e trazer a sociedade para junto dela, de acordo com a filosofia de trabalho”, finalizou.

Projeto de compostagem de resíduos orgânicos é exemplo na adesão aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

O projeto de compostagem de resíduos orgânicos, desenvolvido por meio de uma parceria entre a Oscip Trilhos do Jequitibá, a ONG Associação Carisma de Educação, Cultura, Recuperação e Integração Social de Jaguariúna e a empresa Mudavisão em Compostagem, foi apresentado durante o fórum para exemplificar uma das iniciativas de engajamento aos ODS. Para tanto, houve a participação do coordenador técnico do projeto, Cassio Henrique da Silva.
A alternativa ecológica para os resíduos orgânicos, atrelada a questões sociais é um dos destaques da proposta. O coordenador abordou os aspectos técnicos do projeto, os certificados obtidos e o impacto da ação no meio ambiente, na sociedade, nas empresas e instituições públicas e sociais.
“Esse projeto da Mudavisão atende a proposta dos 17 ODS. Trata-se de um exemplo que se aplica ao ODS 12, que diz respeito ao consumo e produção sustentáveis, mas abrange outros. A proposta vem a casar com todo esse desenvolvimento da própria ONU para minimizar os impactos ambientais que estão acontecendo no planeta. O projeto é difuso, de interesse de toda uma sociedade. Afinal, não vivemos no planeta de forma isolada”, considerou Cássio.

Produto
O produto gerado no processo de compostagem é o composto orgânico para a fertilização do solo, obtido a partir do processo de degradação biológica de resíduos orgânicos, incluindo restos de alimentos coletados em restaurantes de empresas e escolas e restos de podas de árvores. A produção é regulamentada por órgãos federais, estaduais e municipais, em conformidade com a lei que trata sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS).
A obtenção do laudo técnico do composto orgânico já permite sua comercialização para uso na fertilização do solo. Parte da receita obtida com a comercialização do composto será destinada a projetos sociais. A primeira delas é a Associação Carisma, que já está engajada na proposta. A ideia é cadastrar outras instituições para receberem o projeto, conforme sua expansão.
O projeto de compostagem possibilita o apoio das empresas por meio do recebimento de doações, através da lei de incentivo fiscal. O apoio também engloba o voluntariado, a doação sem fins dedutíveis, além da doação de bens ou serviços.
O projeto teve a unidade piloto inaugurada em dezembro do ano passado e está instalada no bairro Colmeia, próximo ao km 138,5 da Rod. Adhemar Pereira de Barros (SP-340). Segundo o coordenador, deve-se expandir com a instalação de uma segunda unidade até o final deste ano, em município da região.

Reportagem e fotos: Viviane Westin