Jaguariúna reduz mortalidade infantil em 84%, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde

Um dos indicadores mais utilizados para se medir a qualidade de vida em qualquer município é o índice de mortalidade infantil, e nesse quesito Jaguariúna vai indo muito bem. De acordo com dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde, no período entre 2016 e março de 2019 a mortalidade infantil na cidade foi reduzida em 84%, entre crianças menores de cinco anos de idade, o que iguala o município a países como Singapura, Islândia e Japão, que ostentam a menor taxa de mortalidade infantil no mundo, segundo o Index Mundi – Cia. World Factbook.

Em dois outros segmentos infantis a ótima notícia se confirma com indicadores bem parecidos: redução de 82% na mortalidade entre crianças menores de um ano e 81% na mortalidade neonatal, ou seja, entre crianças de zero a 27 dias. Para a secretária municipal da Saúde, Maria do Carmo de Oliveira Pelisão, o quadro positivo confirma o trabalho que vem sendo desenvolvido desde 2017 na rede municipal.

“Temos três programas que dão atenção especial à mulher e ao recém-nascido, e os consideramos fundamentais nesse avanço: o ‘Tempo de Cuidar’, voltado para gestantes até o pós-parto/puérpera, o ‘Tempo de Crescer’, para crianças de zero a cinco anos de idade, ou seja, na primeira Infância, e o ‘Tempo de Viver’, para crianças a partir dos cinco anos até a idade adulta”, explica.

Já Carolina Freire, Diretora de Desenvolvimento Sustentável, destaca outro aspecto positivo e não menos importante na realidade vivida por Jaguariúna. “Vale lembrar que estamos trabalhando com o Programa Cidades Sustentáveis e buscamos institucionalizar, através de projetos estratégicos e indicadores, a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU) como diretriz das políticas públicas municipais”, lembra.

Segundo ela, após dois anos de trabalho constante e com foco na melhoria de indicadores de saúde, educação, causa ambiental, dentre outros, os resultados são robustos e destacam o município, que é referência na Região Metropolitana de Campinas (RMC). “Aliás, temos alguns destaques positivos que vão na contramão de dados nacionais recém-publicados por órgãos nacionais e internacionais”, pontua Carolina Freire, otimista.

Saúde

Uma análise da Fundação Abrinq sobre dados do Ministério da Saúde, portanto, um índice nacional, indica que em 2016 a taxa de mortalidade na infância (de crianças entre zero e cinco anos) registrou piora em todo o país, indo de 14,3 para 14,9 por 1.000 nascidos vivos, ou seja, houve alta de 4,19%. Esses dados de 2016 refletem a projeção do impacto negativo da recessão econômica, do aumento da pobreza e dos cortes em políticas sociais, conforme estudos recentes.

Em Jaguariúna, os resultados dos indicadores na saúde vão na contramão das estatísticas nacionais desde o início de 2017 graças às ações do Programa Construindo um Novo Tempo. O prefeito de Jaguariúna, Gustavo Reis, que no segundo ano de sua primeira gestão (2009-2012) foi a Nova York receber o prêmio da ONU por ter alcançado a taxa zero de mortalidade infantil, fez questão de destacar e enaltecer o trabalho que vem sendo desenvolvido na saúde municipal.

“Essa notícia nos enche de alegria e mostra que estamos conseguindo voltar aos índices altamente positivos já alcançados. Saúde é nossa prioridade e trabalhamos com muita seriedade e responsabilidade, que é para garantir aos nossos moradores um atendimento humano e de qualidade. Sempre digo, com saúde não se brinca, então, parabéns a todos os envolvidos em mais essa conquista, pois ela só reforça a qualidade de vida que buscamos para a população”, disse o prefeito.

Fonte : Prefeitura Municipal de Jaguariúna – Por Aluízio Santana /Foto: divulgação/SMS