Parque Santa Maria vai sediar o CaminhaCão com atrações gratuitas no domingo (17)

CaminhaCão chega com diversas atrações e reforça a posse responsável dos animais

Por Viviane Westin

O evento contará com a participação de policiais municipais responsáveis pelo Canil da Polícia Municipal (Foto: Alessandra Guerra)

O CaminhaCão chega em sua 7ª. edição no próximo domingo (17) e será sediado no Parque Santa Maria, em Jaguariúna, das 9h às 14h. A programação inclui a participação de cães do canil da Polícia Municipal, com showdog, aula especial de adestramento básico do Projeto EducaCão e caminhada simbólica. O público ainda poderá contar com praça de alimentação, distribuição de brindes, exposições, entre outras.

A entrada tem um custo de R$ 2,00, com direito a um cupom para participar do sorteio de prêmios. O evento é promovido pela Organização da Sociedade Civil (OSC) ONG Xodó de Bicho que atua em prol dos animais carentes e abandonados. Segundo balanço da entidade, desde que iniciou o trabalho em Jaguariúna, em 2010, já foram retirados das ruas e encaminhados para adoção quase três mil animais. 

Fotos: Alessandra Guerra

“Ao longo dos anos, o CaminhaCão vem se fortalecendo como uma festa de confraternização entre os amantes dos animais, pessoas que trabalham por um mundo melhor para os animais. Esse é o momento em que reunimos apoiadores do trabalho da entidade no dia a dia, pessoas que garantem com sua ajuda o salvamento de centenas de animais ao ano”, observa a presidente da ONG, Leliane Magalhães Guerra Gandolphi.

Em edições anteriores, o CaminhaCão chegou a registrar um público de até 700 pessoas. O evento é público, mas os organizadores ressaltam aos cuidados. Os cães de raças previstas na Lei Estadual 11.531, conhecida como Lei da Focinheira, devem portar a proteção e guia curta, para a segurança de todos. As raças em referência são: Pitbull, Rottweiler, Mastim e similares.

“Muitas vezes os cães das raças citadas são calmos e submissos, porém, ao serem interpelados por algum cão menor, mais bravo ou de comportamento arisco, podem ter reações inesperadas, cujo controle escaparia aos donos na ausência desses acessórios. Entendendo isso, acreditamos que todos cumprirão a lei, como sempre aconteceu”, evidencia a presidente.

Ainda segundo Leliane, é desejável que todos os pets participantes estejam com a saúde em dia e vacinados, também fazendo uso de coleiras e guias. “O recolhimento dos dejetos dos animais será de inteira responsabilidade dos tutores, como prática de cidadania, e haverá pontos com água para os animais pelo parque”, observa.

A Unidade de Vigilância de Zoonoses de Jaguariúna vai realizar a vacinação gratuita contra raiva em seu estande durante o evento. Ainda deve marcar a presença entre os expositores a Oscip Trilhos do Jequitibá, que atua no segmento ambiental, e o grupo de Proteção Animal Anjos Guerreiros. Também participam prestadores de serviços que atuam nos segmentos veterinário e agropecuário.

Abandono

Dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam a existência de mais de 30 milhões de animais abandonados no Brasil, entre cães e gatos. Em seu portal, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (CRMV-SP) evidencia a importância de programas de controle e abandono animal para a mudança deste cenário. Para o presidente da Comissão de Políticas Públicas do CRMV, Carlos Augusto Donini, “o debate e a solução efetiva desses desafios devem envolver população, órgãos públicos, universidades e ONGs”.

A presidente da Xodó também chama a atenção para os casos de abandono e reforça as ações que são mantidas pela ONG nessa causa. “Seguimos mantendo as campanhas fixas de conscientização do conceito de posse responsável e as feiras de adoção (virtual e física).  A ONG atende a população carente e os animais comunitários com os recursos que estiverem disponíveis, procurando garantir seu bem-estar e minimizar os problemas advindos da pobreza dos tutores, ou abandono que obrigue os cães a viverem nas ruas”.

Segundo Leliane, a ONG mantém um canil com 45 animais em local alugado, todos castrados, vacinados e aptos à adoção. “Reforçamos a importância da castração para o controle de natalidade, evitando crias indesejadas, maus tratos e abandono. Não há lares para todos! É obrigação do tutor garantir que seu animal ou seus descendentes não sejam parte da triste realidade de 30 milhões de animais abandonados em nosso país”, finaliza.

A Xodó de Bicho é uma entidade de utilidade pública desde 2011, atua em parceria com o Poder Público nos moldes da Lei Federal 13.019. As prestações de contas e o Portal da Transparência podem ser acessados no site xododebicho.org.

Reportagem: Viviane Westin – Fotos: Alessandra Guerra – divulgação Xodó de Bicho