Estudantes da UniFAJ publicam matérias em portal de universidade do Japão

Aquecimento Global e a perda da Biodiversidade no Brasil foi título da matéria publicada pela aluna da UniFAJ

A oportunidade de romper fronteiras e ter contato com culturas de outros países está cada vez mais presente na rotina dos alunos do Centro Universitário de Jaguariúna (UniFAJ). Por meio do Departamento Internacional da Instituição, os universitários têm a possiblidade de publicar matérias redigidas em inglês no portal Real Reporter, jornal publicado pela Universidade de Shimane, do Japão.

A primeira estudante da UniFAJ a publicar uma matéria inteiramente em inglês foi Glenda Souza da Silva, do curso de Medicina Veterinária. Sob o título Global Warming and the Loss of Biodiversity in Brazil (Aquecimento Global e a perda da Biodiversidade no Brasil), a aluna desenvolveu a matéria por meio de pesquisas e artigos científicos, escolhendo o assunto tratado por já ter afinidade com a área. “Mesmo sendo um tema muito citado, os danos ocasionados pela perda de biodiversidade natural não são tratados com a sua devida importância. A divulgação da matéria é relevante para a conscientização das pessoas com relação à preservação do meio ambiente”, argumenta Glenda.

Sobre como foi desenvolver um texto exclusivamente em uma língua estrangeira, ela afirma que foi a parte mais tranquila e complicada ao mesmo tempo. “Para mim, foi uma das partes mais legais, porém, a mais difícil. Mas foi muito bom para obter maior conhecimento”, aponta.

A parceria teve início em 2018, quando a Universidade de Shimane participou do programa Asynchronous Global Understanding da UniFAJ. “Nós enviaram um e-mail no segundo semestre do ano passado dizendo que os alunos [da Universidade de Shimane] tinham gostado muito do que os nossos estudantes tinham apresentado nos vídeos da ação do Global Understanding e nos convidaram para fazer parte desse jornal online, que é criação da própria equipe de edição da instituição deles”, comenta a responsável pelo Departamento Internacional da UniFAJ, Caroline de Rosso.

O diferencial do jornal é que os editores do Real Reporter são os alunos. São abordadas algumas pautas específicas para que eles possam trabalhar e, seguindo essa linha, publicar uma matéria. Segundo Caroline, o critério para a criação dos textos é conter entre 200 a 600 palavras, possuir um inglês legível, não precisando ser fluente, mas que não atrapalhe a compreensão do texto, e não apresentar conteúdos inapropriados.

Para ler a matéria, acesse: http://realreporter.online/global-warming-and-the-loss-of-biodiversity-in-brazil/

VESTIBULAR

O Centro Universitário de Jaguariúna (A UniFAJ) está com inscrições abertas para o Vestibular Continuado, que oferece vagas em mais de 25 cursos das áreas de Humanas, Saúde, Exatas e Agrárias, que têm por filosofia a vivência prática da carreira. As graduações são distribuídas em cinco campi: uma clínica integrada onde ocorrem as aulas práticas dos cursos da área da saúde; Hospital-Escola Veterinário, que é um dos maiores e mais bem equipados da América Latina; Centro de Pesquisas Ambientais e Agropecuárias (CPAA), que funciona como catalisador de estudos científicos nas áreas da saúde humana e animal; Campus 1 e Campus 2, que recebem os demais cursos da Instituição, além da FAAGROH (Faculdade de Agronegócios de Holambra), que é parceira da UniFAJ e única faculdade do Brasil com instalações abertas.

As inscrições podem ser feitas no site da Instituição (www.faj.br) e as provas são agendadas de terça e quinta, às 19h, e aos sábados, às 9h30. Até o dia 21 de janeiro, o candidato terá 50% de desconto na matrícula, em todos os cursos. Além disso, matriculando, ele ganha um curso de inglês, oficina de currículo e cadastro gratuito em banco de emprego/estágio.

Em menos de duas décadas de funcionamento, a UniFAJ conquistou notas máximas em todos os seus cursos, seja no MEC ou ENADE, mantendo a cada dia sua visibilidade, respeito e, principalmente, garantindo aos seus alunos a plena formação e sua altíssima empregabilidade, sempre com foco na prática, na internacionalização e na responsabilidade sociocultural, ambiental e civil.