Campanha Sacolinha de Natal beneficia os animais resgatados em situação de abandono

A recente morte de um cão na loja de uma grande rede de supermercados mais uma vez expõe a vulnerabilidade dos animais que vivem nas ruas. O caso está sendo investigado, mas, segundo denúncia, o animal teria sido morto por um segurança do local. O fato tem causado polêmica e protestos com a mobilização de uma parcela da população que se indigna com esses atos de violência.

Infelizmente, casos como esses evidenciam a crueldade humana perante os animais que vivem em situação de abandono. Por outro lado, fortalecem o reconhecimento de ações como as praticadas pela ONG Xodó de Bicho, em Jaguariúna, que atua na proteção animal há quase duas décadas.

Neste final de ano, a Xodó realiza a campanha Sacolinha de Natal em prol dos cachorros que vivem em seu canil, todos resgatados e com um histórico de desamparo. A ação prevê a compra de brinquedos seguros e medicamentos de uso contínuo para animais em situação de confinamento.

A presidente da ONG, Leliane Magalhães Guerra Gandolphi, detalha a necessidade especial de brinquedos que não soltem partes, pois evita engasgos ou graves problemas intestinais no caso de ingestão pelos cães. A campanha será veiculada nas mídias sociais e na lojinha da ONG, no endereço eletrônico xododebicho.ecwid.com.

Aos cuidados da ONG

Segundo Leliane, o número de animais que vivem aos cuidados da ONG é variável, pois depende da disponibilidade de recursos da entidade. “Ajudamos entre cem e cento e trinta animais mensalmente”, contabiliza. Atualmente, vivem no canil cerca de 50 cães – somam-se a esses os animais comunitários que são cuidados nas ruas, os de famílias carentes e de protetoras que cuidam dos animais em casa.

A ONG não possui gatil. Segundo a representante da entidade, os gatos auxiliados ficam em lares temporários ou são animais considerados ‘ferais’, de colônias em vários bairros da cidade, que infelizmente não são aptos à adoção.

Chama a atenção o apontamento da ONG em relação a épocas festivas, como Natal, Ano Novo, férias escolares e Carnaval, sendo esses períodos os que reúnem os índices mais elevados de casos de abandono. “Existe o pensamento de que, para não gastar com hotelzinho ou cuidador, as pessoas soltam seus animais nas ruas e, se estiverem por lá quando do retorno, os pegam de volta. Se não estiverem, buscam um novo filhote e o ciclo recomeça”, lamenta Leliane.

A legislação considera a prática do abandono como crime – Lei 9605, art 32. Porém, a presidente reforça a necessidade de denúncia formal desses casos para que a polícia possa agir contra aqueles que cometem esse tipo de infração.

Apoios e parcerias

Segundo a representante da ONG, seria impossível a manutenção da entidade sem o apoio recebido de pessoas físicas e jurídicas, bem como de organizações dos setores público e privado. “As doações continuam mantendo a Xodó viva. Registramos uma queda significativa nas doações espontâneas, em depósitos ou doações em dinheiro. Creditamos isso à crise no país, mas a participação nos eventos e as vendas de produtos da ONG se mantêm fortes e são pilares importantes para a manutenção dos trabalhos da entidade”. 

A prestação de contas da ONG está disponível para consulta através do link no Portal da Transparência, no site xododebicho.org e na rede social facebook/xododebicho.

Adoções e cuidados

“Os animais que vivem no canil da Xodó estão todos aptos para adoção imediata, sendo alguns com necessidades especiais. Todos são castrados, vacinados contra raiva e com a V10 importada (contra diversas viroses que acometem cães). O estado de saúde é acompanhado semanalmente e atestado por uma médica veterinária”, observa a presidente.

O direcionamento da adoção é feito a partir de um questionário e a seleção dos animais é indicada para cada situação e de acordo com o perfil da composição familiar.

As feiras presenciais de adoção são realizadas a cada bimestre, os locais são previamente anunciados na mídia. Já a feira virtual é perene e pode ser acessada pelo facebook.

Itens mais usados

Além da demanda de voluntários, a ONG destaca a necessidade de alguns itens mais utilizados nos cuidados diários dos animais: ração para cães e gatos (principalmente adultos); produtos de limpeza (base de amônia quaternária, água sanitária, desinfetante); xampus comuns e xampus especiais (clorexidine e similares); jornais; remédios de uso contínuo; petiscos; e alimento em pasta.

Os doadores podem obter mais detalhes pelo inbox na página no facebook ou e-mail xododebicho@bol.com.br.

Reportagem: Viviane Westin

Foto: Xodó de Bicho/Divulgação