Doutor Bumbum faz papel de vítima

Minutos antes de ser preso na tarde desta quinta-feira (19), em um centro empresarial na Barra da Tijuca, o médico Denis Cesar Barros Furtado, 45 anos, conhecido como ‘Dr. Bumbum’, gravou cinco vídeos, que foram postados em seu perfil no Instagram, por volta das 16 horas, quando já estava detido. Em um dos vídeos, ele diz que não se entregou antes porque teria sofrido um atendado com perseguição de carros, fuzil e tiros. Logo após, ele concedeu uma coletiva e disse que a bancária Lílian Calixto fazia uso de anabolizantes, que são agravantes para o seu quadro.

Ele foi detido por policiais do 31º BPM (Barra da Tijuca) após informações do Disque Denúncia. A mãe dele, Maria de Fátima Furtado, também foi localizada. Os dois estavam com mandado de prisão temporária expedido por 30 dias pelo homicídio da bancária, que morreu após procedimento estético realizado no apartamento de Denis.

 

Leia mais:

Dr. Bumbum e mãe são presos pela PM em centro empresarial na Barra da Tijuca

“A minha demora em fazer esse pronunciamento, estou fazendo quatro dias após, porque eu sofri um atentado com perseguição de carro, fuzil e tiros. Eu não imaginava quem fosse se era bandido, se era represália da família da vítima, eu não sabia que era, até agora não sei. Mas sei que estou sendo culpado por um crime que não cometi e isso será julgado e será comprovado, porque a Justiça funciona. Então, todos aqueles que me caluniam e me difamam estão aproveitando esse momento de tristeza para mim, a família da vítima, serão punidos. Serão punidos pelo homem e também por Deus”, contou.

De acordo com ele, Lilian teria dito que faria uso de anabolizantes, que poderia agravar seu quadro, porém ele não poderia recusar a paciente porque os exames teriam sido compativéis.

“O sucesso de qualquer procedimento médico depende de vários fatores. Foram requisitados todos exames de sangue dela compatíveis ao risco cirúrgico, coisa que eu não conheço outro médico que peça, eu peço. Eletrocardiograma, hemograma, coagulograma, tedímero, função hepática, função renal, tudo ok. No prontuário dela ela me disse usar anabolizante. Ela me disse usar, não sei se anticoncepcional também, mas ela usava déia, testosterona, então são agravantes para um quadro, porém você não pode eticamente recusar um paciente quando ele tem exames compatíveis…”.

‘Doutor Bumbum’, afirmou que está sendo “injustiçado” pela mídia e classificou a morte da bancária como uma fatalidade. “Como todo mundo sabe, aconteceu uma fatalidade, mas algo que acontece com qualquer médico. Uma paciente minha, no consultório, após um procedimento de bioplastia, que eu já realizei nove mil vezes, saiu muito bem e, seis horas após, a levei para um hospital e ela chegou ao óbito”, disse o médico.

Denis também explicou que não aplica silicone industrial, e que irá requerer perícia no glúteo de pacientes que estariam mentido para lhe prejudicar. “Estão dizendo que eu aplico silicone industrial. Essas pessoas serão vistas, eu vou requerer análises, eu vou requerer que façam pericias do glúteo, e vocês que estão mentindo para me prejudicar, tentar retirar a boa imagem de nove mil procedimentos, dois livros escritos sobre a área, querendo apenas aparecer nos holofotes, vocês vão ser processados, certamente. Minha enfermeira Vanessa, a senhora Thais que foram falar essas falácias e mentiras”.

Por fim, ele contou detalhes do atendimento da bancária, que faleceu horas depois. “A paciente saiu rígida, ela saiu integra. Ela terminou o procedimento por volta das 7h20 da noite. Saiu andando, desceu escadas, conversou, riu, conversou com todo mundo que estava lá, conversou até com outra paciente que estava lá, e se sentia muito bem. Passou 8h, ela fez o pagamento às 8 horas, 9 horas, 10 horas, 11 horas eu falei: vamos sair? Terminamos aqui! Às 11 horas da noite, às 11h30, ela se sentiu mal. Uma queda de pressão, a pressão dela estava 9 por 7. Eu falei ‘vamos ao hospital para avaliar o que é isso, quem sabe tomar um soro e melhorar’.  Chegamos lá, ela andando, lúcida, isso diz no laudo da médica do hospital. E depois ela veio a falecer no hospital. Eu quero saber o que é isso”, questionou.

O caso

Segundo fontes ouvidas pelo Olhar Direto, Lilian teria ido para o Rio de Janeiro fazer um preenchimento de glúteo com PMMA, no sábado (14), pela manhã. Primeiramente, a cirurgia estaria marcada para acontecer em Brasília, mas foi transferida em cima da hora para o Rio. Ela trocou a passagem e foi.

No sábado, após o procedimento, Lilian chegou a sair do local onde foi atendida para ir jantar. Logo depois, começou a passar mal e foi hospitalizada e sofreu um mal súbito. A hora da morte foi registrada às 2h da madrugada. No entanto, o Hospital teria ligado para o telefone do responsável – uma amiga, a única que sabia que ela faria o procedimento – só doze horas depois, às 14h deste domingo (15).

Lilian foi gerente do antigo HSBC e estava, agora, à frente das contas do banco Bradesco. Natural de Barra do Bugres, ela era muito conhecida na capital. Ela deixa dois filhos. Um rapaz de 25 anos, e uma menina de 13, além do marido

O Conselho Regional de Medicina (Cremerj) abriu procedimento para apurar o caso. Famoso nas redes sociais, o médico possui mais de 600 mil seguidores e ofertava procedimentos de estética no Rio, em São Paulo e em Brasília. Nas redes sociais, ele é conhecido como ‘Doutor Bumbum’, em alusão aos procedimentos que realizava.

 

Fonte: Olhar Digital