Cesta básica vira caso de polícia na Câmara Municipal de Jaguariúna

Um favor prestado pela vereadora de Jaguariúna, Inalda Lúcio de Barros Santana (MDB), aos familiares da assessora política Delma Paz, 30 anos, terminou em caso de polícia na manhã de quarta-feira, 28. Delma é assessora do presidente da Câmara, Romilson Nascimento Silva (PV).

Segundo a vereadora, o desentendimento ocorreu após a realização da sessão extraordinária de terça-feira, 27. “Eu e minha assessora fomos até a cozinha, nisso, ela veio atrás, entrou e começou a me questionar, questionando o porquê eu ajudei familiares dela. Chegou a dizer que os votos dos familiares dela são do Romilson”, contou Inalda.

A vereadora disse que respondeu a ela que apenas prestou um favor e que gosta de ajudar a quem precisa. Segundo a parlamentar, apenas indicou que elas fossem até a Assistência Social do município solicitar uma cesta básica, pois estavam passando necessidade.

“Enquanto tive na sala, que ela trancou, por um tempo de dez minutos, não deixou nem eu e nem minha assessora sair, sofri ameaças, não conseguia falar, pois ela gritava, sofri muito medo, eu tremia. Nunca tinha passado por isso na minha vida. Eu tenho 62 anos, e ela tem a metade da minha idade”. Inalda disse que somente conseguiu sair da sala com a ajuda de outra assessora parlamentar que conseguiu abrir a porta.

No entanto, a confusão maior ocorreu quando a filha da vereadora, a dona de casa Sueli Santana, de 45 anos, marcou com a assessora Delma, no dia seguinte, no gabinete na Câmara. “Houve muita confusão, dela com a minha filha, outros vereadores que estavam no momento ajudaram, e ela mesmo, a Delma, já havia chamado a Polícia”. Segundo a vereadora, todos foram para a Delegacia registrar um Boletim de Ocorrências. “Já ela, a Delma, deu uma canseira na polícia, esperava por  ela, disse que iria depois, mas não compareceu”.

Segundo a vereadora, o caso agora está com a polícia para investigar, pois além do que aconteceu com ela, a filha, Sueli, também disse ter sofrido agressão. O fato foi um dos principais assuntos comentados nos últimos dias nas redes sociais.

A reportagem da Gazeta Regional entrou em contato nos celulares da assessora Delma, para ouvir sua versão sobre o caso, e do presidente da Casa, Romilson, para saber que providências tomará sobre o caso. No entanto, a assessora não atendeu a ligação e também não retornou. O celular do vereador estava desligando, e foi deixado uma mensagem de voz, solicitando retorno, o que não aconteceu. Para reforçar o pedido de entrevista, foi deixada uma mensagem de WhatsApp para a assessora e para o presidente da Câmara, em suas respectivas contas.