Fazenda da Barra abre as portas ao público a partir de 16 de junho

A partir deste sábado, 16, a Fazenda da Barra, um dos principais patrimônio histórico de Jaguariúna abre suas portas para visitação pública. Para esse marco histórico pudesse ocorrer a Prefeitura de Jaguariúna realizou um intenso processo de restauro em seus prédios e demais instalações. Tanto o prédio principal como as demais instalações já foram tombados como patrimônios históricos do município.

“Estamos preparando uma cerimônia simples, mas muito bonita e significativa para a importância do evento, que é abrir as portas da fazenda para que a população conheça em detalhes um dos mais significativos patrimônios de sua história”, disse o prefeito Gustavo Reis.

Por ser um fato inédito, a prefeitura preparou uma programação, com início às 8h30, com a bênção da restaurada Capela de Santa Isabel, que fica ao lado do antigo terreiro para secagem do café, e, em seguida, à 9h, a inauguração da Capela da Fazenda. As festividades continuam com a apresentação dos cães adestrados do Canil da Guarda Civil Municipal. Às 10h, o público poderá conferir a apresentação da Orquestra Violeiros do Jaguary.

Haverá ainda a inauguração da nova Sede da Romu (Ronda Ostensiva Municipal) que pertence à Guarda Civil Municipal (GCM) e ocupará uma das edificações da fazenda, a entrega do Canil da GMC de Jaguariúna e inauguração das trilhas para passeios dos visitantes.

A secretária de Turismo e Cultura (Setuc), Maria das Graças Hansen Albaran dos Santos, disse que o restauro concluído é uma das conquistas mais importantes no tocante à preservação da memória e dos patrimônios arquitetônico e cultural do município, cujos moradores terão muito mais elementos para entender as origens da cidade onde vivem.

“Tudo naquela fazenda é grande e espetacular, a começar pela casa principal com seus paredões de taipa, treliças imensas de madeira, janelas de pinho de riga, assoalho de jatobá e as pilastras construídas com pedras. Na parte externa, a Fazenda da Barra também impressiona porque mostra, em detalhes, como funcionavam as grandes propriedades em Jaguariúna, pois tinham a estrutura de uma verdadeira agroindústria”, diz a secretária.

No Estado de São Paulo, o órgão responsável pela preservação e proteção do patrimônio cultural é o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (CONDEPHAAT), vinculado à Secretaria de Estado da Cultura. Na esfera federal, a proteção desse patrimônio é responsabilidade do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura.